Intel bate recordes de investimento na Alemanha: 30 mil milhões de euros para produção de chips

Segundo a imprensa alemã, Berlim estende o tapete vermelho, aumentando em 3 mil milhões de euros as subvenções para a construção da fábrica de Magdeburgo, o que dá à Intel uma ajuda total de 10 mil milhões de euros.

Por Irene Iglesias Álvarez

Intel, a multinacional dirigida por Pat Gelsinger, avança a toda a velocidade nos seus planos de expansão. Se recentemente anunciou a construção de uma nova fábrica de montagem e teste de semicondutores na Polónia, bem como um investimento histórico em Israel para promover uma nova fábrica no valor de 22,8 mil milhões de euros, as últimas notícias confirmadas pela empresa sediada em Santa Clara não ficam atrás.

A multinacional norte-americana, depois de vários braços de ferro com Berlim, aceitou instalar-se em território alemão. A Intel anunciou que vai investir 30 mil milhões de euros na construção de duas fábricas de chips de última geração na cidade de Magdeburgo, em Wroclaw.

O negócio, que representará o maior investimento de sempre de uma empresa privada estrangeira no país, foi saudado pelo chanceler alemão Olaf Scholz, após os recentes desentendimentos entre as duas partes.

Segundo o Financial Times, para construir a nova fábrica, a Intel exigiu um aumento dos subsídios dos 6,8 mil milhões iniciais para 10 mil milhões, invocando custos de energia e de construção mais elevados. Na altura, o ministro das Finanças alemão, Christian Lindner, excluiu a possibilidade de conceder fundos adicionais: “Não há mais dinheiro disponível no orçamento”. No entanto, a Alemanha parece ter recuado e estendido o tapete vermelho ao fabricante de semicondutores, iniciando assim uma nova etapa nesta questão tecnológica.

A aliança entre Berlim e a multinacional americana não tem sido isenta de discussão, dado o elevado montante de dinheiros públicos envolvidos, mas o facto é que se trata de um acordo estratégico e fundamental para a concretização dos objetivos definidos pela União Europeia na sua Lei dos Chips. O principal deles, indiscutivelmente, é fabricar 20% da produção mundial de semicondutores dentro das fronteiras da zona euro. Um objetivo que, embora ambicioso, é crucial para alcançar a tão desejada soberania tecnológica e reduzir a dependência da Ásia.

Anúncios recentes

A confirmação da fábrica de Magdeburgo é o terceiro grande investimento que a Intel revela num espaço de dias. Na sexta-feira, anunciou que vai gastar mais de 4,2 mil milhões de euros para instalar uma fábrica de processadores na Polónia. O montante do subsídio que o Governo polaco teve de conceder para atrair a empresa americana não foi divulgado na altura. O mesmo não aconteceu em Israel, onde Gelsinger vai construir uma fábrica de mais de 22,8 mil milhões de euros em Kiryat Gat.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado