Será na Europa que a IBM vai instalar o seu segundo centro de dados quânticos do mundo

O complexo, que contará com mais de 100 processadores qubit, situar-se-á em Ehiningen, na Alemanha, onde a Big Blue já tem um dos seus seis computadores quânticos IBM Quantum System One.

Ehiningen, na Alemanha, é a cidade escolhida pela IBM para instalar o seu novo centro de dados quânticos, o segundo a nível mundial – o outro é em Nova Iorque – e o primeiro na Europa. Trata-se de um complexo que contará com processadores de mais de 100 qubits, que ficará situado na mesma cidade alemã onde a Big Blue tem um dos seus seis computadores quânticos IBM Quantum System One (outro encontra-se aqui ao lado na vizinha Espanha, em San Sebastian, em construção pela fundação Ikerbasque).

Com este centro de dados quânticos, a IBM pretende criar uma rede de computação quântica na nuvem, que estará acessível a empresas, investigadores e organismos públicos de toda a Europa, para que possam tirar partido dos benefícios quânticos destes sistemas sem necessidade de construírem computadores quânticos nas suas instalações. De facto, mais de 60 organizações europeias são já clientes da rede quântica da IBM.

Jay Gambetta, vice-presidente da IBM Quantum, afirmou: “O objetivo é aproveitar o poder da computação quântica para resolver alguns dos problemas mais difíceis do mundo.” Segundo Gambetta, para tirar realmente partido das vantagens da quântica, o processador utilizado no novo centro de dados será o Eagle de 127 qubit.

Alguns dos problemas mais difíceis de que Gambetta fala situam-se no domínio da biomedicina. O desenvolvimento de novos medicamentos, por exemplo, é feito através de simulações e experiências que podem demorar anos a calcular nos computadores tradicionais. A capacidade de cálculo dos sistemas quânticos permite reduzir esses tempos e acelerar o desenvolvimento.

Nesta linha, Dario Gil, vice-presidente sénior e diretor da IBM Research, comentou que “estamos a assistir a uma revolução no mundo da computação, impulsionada por avanços extraordinários na IA e na computação quântica. Estes permitem aos cientistas compreender melhor como as moléculas se comportam e como podem facilitar a criação de moléculas totalmente novas.”

Para além da biomedicina, a computação quântica promete enormes impactos em todos os setores económicos, incluindo as finanças, a cibersegurança, os processos industriais e até a corrida espacial.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado