Distribuidores de TI em Portugal consideram inteligência artificial vital para o crescimento dos negócios

Novo estudo global da Sage indica que os serviços automatizados, bem como as soluções de cibersegurança e as aplicações SaaS são os serviços mais procurados.

Por Sónia Santos Dias

De acordo com o novo estudo “Partnering for Success: State of the IT Channel Ecosystem, divulgado pela Sage, os responsáveis de canal mantêm um crescente interesse pela Inteligência Artificial (IA), como uma potencial fonte de receita para os seus negócios.

Numa pesquisa realizada junto de 1 700 distribuidores da área de Tecnologias e Informações (TI) em todo o mundo, incluindo 100 em Portugal, verifica-se que a IA é um dos serviços mais procurados atualmente no canal. 51% dos responsáveis de canal portugueses referem que a IA e os serviços automatizados são uma das fontes de receita que mais interessam atualmente aos clientes, e antecipam que continuará a ser no próximo ano. Este número supera as previsões globais, já que apenas 47% dos responsáveis em todo o mundo também identificam esse interesse.

Esse interesse pela IA não está a ser potenciado apenas pelos clientes. Quase metade dos distribuidores portugueses (41% dos entrevistados) afirma que a IA e os serviços automatizados são vitais para o crescimento dos seus próprios negócios, em comparação com 33% a nível global. Consequentemente, os players do canal de TI estão a investir na qualificação da sua força de trabalho. 51% dos parceiros nacionais estão a contratar ativamente funcionários com competências em IA e machine learning. Adicionalmente, 58% dos gestores de canal em Portugal adicionaram mais recursos em AI, automação e machine learning, 37% adotaram o e-Commerce e recursos de pagamento flexível.

 As soluções de cibersegurança e as aplicações cloud e SaaS (Software as a Service) são também uma prioridade para os parceiros de canal. Os entrevistados portugueses destacam as soluções de cibersegurança (33%) e aplicações cloud e SaaS (30%) como vitais para o crescimento dos seus negócios e da sua carteira de clientes. Outro aspeto que está a ganhar relevância são as ações de sustentabilidade e RSC na abordagem de novas oportunidades de negócio. Em Portugal, 77% dos entrevistados estão focados na sustentabilidade ao apoiar os seus clientes.

Apesar destes objetivos, as tensões geopolíticas são uma preocupação para os distribuidores portugueses de TI, uma vez que 52% dos inquiridos estão preocupados com o impacto a longo prazo no seu negócio e na inovação tecnológica dos distribuidores, seguido pelo aumento da inflação e o custo de vida (50%).

Eduardo Rosini, EVP Partners and Alliances da Sage, comenta que “este estudo enfatiza a necessidade de as empresas anteciparem às necessidades dos clientes e de fazerem investimentos direcionado que promovam o crescimento e mantenham uma vantagem competitiva”.

“O poder da IA é central para esta jornada transformadora, particularmente a IA generativa, como um acelerador crítico. Essa onda de avanços da IA continua a exigir julgamento, experiência e orientação, portanto, os melhores resultados virão de humanos e tecnologia a trabalhar em conjunto. É essa abordagem que levará as empresas a novos níveis de produtividade, inovação e foco no cliente, criando, subsequentemente, um poderoso catalisador para o sucesso”, acrescenta Eduardo Rosini.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado