Espanha tenta seduzir Samsung na luta pelos semicondutores

O governo espanhol acredita que a empresa coreana está a considerar seriamente Espanha como candidata para acolher a sua nova fábrica de produção de chips na Europa.

Por Irene Iglesias Álvarez

Conscientes da importância da soberania dos semicondutores, os governos e administrações de todo o mundo reajustaram as suas estratégias na luta pela liderança internacional. Este tem sido também o caso em Espanha que, após o anúncio do ‘PERTE Chip’, parece ter levado a tarefa realmente a sério.

Tanto que, na última viagem oficial do primeiro-ministro à Coreia do Sul, o país de origem da multinacional Samsung Electronics, Pedro Sánchez empregou as suas melhores táticas para convencer a firma dos seus atributos nacionais.

A Samsung está alegadamente a considerar vários nomes, incluindo Espanha, como o local para a sua nova fábrica de produção de semicondutores na Europa. Após a reunião, a sensação da delegação espanhola em Seul é que Espanha é um candidato firme à empresa liderada por Lee Jae-Yong.

“Ator relevante”

Pedro Sánchez foi acompanhado pelo diretor executivo da divisão de Soluções de Dispositivos da Samsung Electronics, Kye-hyun Kyung, e pelo presidente e diretor geral da divisão de Negócios Microchip, Si-young Choi. Após a visita à fábrica de semicondutores em Pyeongtaek, o primeiro-ministro e parte da delegação espanhola, que incluía o ministro da Indústria e Turismo, Reyes Maroto, realizaram uma reunião com executivos da Samsung.

Seguiu-se um encontro entre Sánchez e Jae-Yong, CEO da empresa coreana. Durante a reunião, Sánchez destacou a “ambiciosa estratégia” do Governo para fazer de Espanha um dos principais atores da cadeia de valor dos semicondutores.

Plano de ação

Para tal, o governo espanhol delineou um plano ancorado em diferentes pontos estratégicos que visam alcançar a liderança internacional através de: uma vasta gama de incentivos e ajuda, mecanismos de financiamento atrativos, um ecossistema em rápido crescimento e a capacidade de atrair talento e pessoal altamente qualificado.

A este respeito, o primeiro-ministro salientou que Espanha atribuirá 12 mil milhões de euros, incluindo 9 mil milhões de euros de fundos públicos, para instalações fabris. Algumas grandes empresas já anunciaram planos de investir em Espanha, com novos centros de desenho de chips. Este é precisamente o caso da Cisco, que anunciou que Barcelona será o local pré-determinado para abrir o seu primeiro centro de desenho de chips na Europa.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado