Cinco tópicos para falar sobre Armazenamento Empresarial

Num mundo pós-COVID, continuam a existir ‘conversas de corredor’ virtuais sobre tópicos com os quais todos nos devemos preocupar na indústria do armazenamento empresarial.

Por Fernando Egido, Country Manager da Infinidat para Portugal e Espanha

As proverbiais conversas de corredor sobre tendências da indústria e novos desenvolvimentos na área do armazenamento podem parecer um costume social de uma era pré-COVID. Porém, ainda hoje, num mundo pós-COVID, continuam a existir ‘conversas de corredor’ virtuais sobre tópicos com os quais todos nos devemos preocupar na indústria do armazenamento empresarial. Aqui estão alguns deles: 

1. Os ciberataques e o papel do armazenamento secundário para uma proteção de dados moderna

Face às ciberameaças de ransomware e malware, é imperativo que as organizações implementem práticas e capacidades modernas de proteção de dados, tais como a air-gap lógico, redes isoladas, snapshots imutáveis e recuperação virtualmente instantânea.  

Os cibercriminosos estão a atacar o backup de dados, assim como o armazenamento primário, pelo que o armazenamento secundário precisa de ser suficientemente seguro e robusto para resistir a ataques – não é uma questão de se, mas quando e com que frequência. Um dispositivo de backup propositadamente construído (PBBA, na sigla original), que anula o ransomware e malware com função automatizada, assegura a continuidade do negócio e protege alguns dos maiores ativos da sua empresa: os seus dados. Quando um hacker pedir um resgate pelos seus dados, pode recorrer aos snaps imutáveis e simplesmente ignorar o cibercriminoso.  

2. Sinais de aviso de complexidade de dados 

Quando os dados são excessivamente complexos, estão em silos e a sua utilização é dispendiosa. Isto é um pesadelo que os administradores de armazenamento toleram demasiadas vezes. No entanto, quando se consolidam as arrays de armazenamento, reduz-se o número de silos independentes a gerir, simplificando dramaticamente todo o processo de dados. 

A complexidade dos dados resulta invariavelmente da existência de demasiadas arrays de armazenamento. É naturalmente mais complexo encontrar dados específicos se tiver 40 arrays, do que encontrá-los se tiver dois arrays equivalentes a 40. Sabe-se, à partida, que o que procura está numa das duas caixas, pelo que reduz significativamente a complexidade e a operação da mão-de-obra. Os CIO gostam da consolidação porque a redução da complexidade significa redução de custos, redução de desperdícios e racionalização dos processos informáticos.

3. A evolução dos Kubernetes: de organizador de containers a plano de controlo de infraestruturas

A maioria das empresas procura trabalhar com um fornecedor de soluções de armazenamento que tenha uma forte presença no mercado de fornecedores de serviços na cloud. Se os fornecedores de serviços na cloud confiam numa plataforma de armazenamento, então os CIO e os decisores de TI podem estar confiantes de que as capacidades de armazenamento são de qualidade comprovada. 

4. Passar da simples gestão de infraestruturas para a gestão da fiabilidade e eficiência de aplicações 

É verdade que tem havido uma mudança do foco para a gestão das aplicações, e não a gestão da infraestrutura. Ouvimos muitos CIO sobre como uma abordagem “set-it-and-forget-it” é preferível para reforçar este foco nas aplicações. Eles querem que o sistema de armazenamento seja automatizado e autónomo.  

5. Redução do CAPEX e OPEX através da consolidação do armazenamento 

Ter vastos conjuntos de arrays significa uma maior necessidade de espaço de prateleira, potência, refrigeração e mais gestão operacional diária. A consolidação reduz o CAPEX e o OPEX e uma abordagem de “set-it-and-forget-it” reduz a mão-de-obra operacional.  

Adicionalmente, a utilização de armazenamento construído com tecnologia AI reduz substancialmente a mão-de-obra operacional, daí o OPEX.  Além disso, usado em conjunto com o software de monitorização e métrica de armazenamento centralizado AIOp com apoio proactivo, também irá reduzir o seu OPEX e CAPEX. 

5 Tópicos para falar sobre Armazenamento EmpresarialEm resumo, estamos a assistir a um emocionante 2022. Ciber-resiliência, IA, desempenho e disponibilidade de aplicações e workloads supercarregadas e a redução de OPEX e CAPEX no mundo atual de clouds e containers híbridos, tudo isto está a acontecer. Prestar atenção a estas tendências de armazenamento dar-lhe-á uma vantagem e ajudá-lo-á a formular o seu plano estratégico de TI para o futuro.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado