Ativos cripto movimentam o mercado de fusões & aquisições em todo o mundo

De acordo com o site Statista.com, estima-se que hoje exista aproximadamente 10 mil criptomoedas, que fazem parte do grupo dos criptoativos, onde fortes movimentações no volume de M&A em 2021 trouxe de volta a liderança para os Norte-Americanos, com movimentações significativas recordes no setor.

O mercado de ativos cripto segue um caminho de valorização, expansão e fortes sinais de consolidação, devido a uma combinação de vários fatores que têm levado ao crescimento exponencial observado nos últimos anos, motivado pela constante procura de inovação tecnológica para melhorar os resultados corporativos. Para a Mazars, consultora empresarial, o mercado de alta tecnologia resulta em constantes mudanças nos quadrantes de mercado e posicionamento tecnológico para empresas de negócios digitais, que para além das exigências de cumprimento dos requisitos regulamentares de cada país e cibersegurança, conforme observado com os regulamentos da CMVM e do Banco de Portugal, incentiva o desenvolvimento e melhoria da tecnologia de contabilidade distribuída (DLT), como blockchain, e impulsiona novas vias para a inovação e tecnologia no mundo digital e cripto.

De acordo com o site Statista.com, estima-se que hoje existam cerca de 10.000 criptomoedas, que fazem parte do cripto grupo, onde os fortes movimentos no volume de M&A em 2021 trouxeram de volta a liderança para os norte-americanos, com movimentos recorde significativos no setor.

“O mercado de ativos cripto está num momento de amadurecimento claro e agora especial com segmentos relacionados com ativos, especialmente tokens não fungíveis (NFT), Metaverse (em amplo desenvolvimento), finanças descentralizadas (DeFi) e organização autónoma descentralizada (DAO). Como resultado, a combinação de disponibilidade de capital e a necessidade de uma convergência tecnológica acelerada e de janelas de investimento atrativas, escalas e impulsionar negócios com inovação de mercado, tem causado um aumento significativo na quantidade e experiência das empresas do setor tecnológico nos últimos anos a nível global”, afirma Ricardo Maciel, parceiro de M&A e reestruturação financeira da Mazars.

Ricardo Maciel acrescenta que a estratégia de mercado do M&A cria uma plataforma de oportunidades que também têm sido usadas para o processo de transformação e reestruturação, face ao novo cenário durante e após a crise da pandemia. E dá o exmplo do Brasil, “No Brasil, foram criadas várias empresas tecnológicas, quebrando modelos pré-existentes com custos mais baratos. Trata-se de um mercado ainda em crescimento e constantemente melhorado tecnologicamente devido ao número de participantes em ativos cripto, maturidade existente, procura de novos mercados, amplitude tecnológica, e que em breve apresenta as características de um mercado em constante transformação, bem como no processo de consolidação nos próximos anos. Os resultados positivos nas transações de M&A apresentadas na América do Norte, Europa, Médio Oriente e África parecem impulsionar também as tendências no Brasil.”

O cenário para fusões e transações, segundo o executivo, apresentará desafios em que o foco na inovação, transformação digital, inteligência artificial, gestão de pessoas e operações em ambientes híbridos e virtuais será comummente abordado juntamente com a mitigação dos riscos económicos, ambientais e sociais para alcançar valor para os acionistas de longo prazo.

“O mercado está muito ativo e com tendências promissoras para investidores como grandes investidores e Fundos de Investimento, Capital de Risco e Fundos de Private Equity, seja através de operações de captura SEED, Série A ou B, onde são esperados registos de operações de financiamento, venda e compra de empresas do setor tecnológico nos próximos anos a partir de 2022”.  termina Ricardo Maciel.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado