Comissão Europeia financia inovação nacional em Ambiente, Bioeconomia e Cultura com 27,7 M€

Portugal lidera 3 dos 66 projetos aprovados.

A Comissão Europeia atribuiu 27,7 Milhões de Euros (M€) a 100 entidades portuguesas  que se candidataram a concursos do Horizonte Europa destinados a financiar projetos do  Cluster 6 do Horizonte Europa: Alimentação, Bioeconomia, Recursos Naturais, Agricultura  e Ambiente e do Cluster 2 do Horizonte Europa: Cultura, Criatividade e Sociedade  Inclusiva. Três projetos são coordenados por entidades nacionais (IST-ID, Companhia  Portuguesa de Culturas Marinhas e Universidade de Coimbra). Em Portugal, os clusters 2  e 6 são acompanhados pela Agência Nacional de Inovação (ANI), no âmbito da rede  PERIN.  

Cluster 6 do Horizonte Europa: Alimentação, Bioeconomia, Recursos Naturais, Agricultura  e Ambiente  

No total, foram submetidas 199 propostas, das quais 57 foram aprovadas (taxa de  sucesso de 28,6%, em linha com a média europeia), correspondendo a 2,4% do  financiamento disponível. Das 84 entidades que participam nos projetos aprovados, 15  participam pela primeira vez em programas-quadro europeus de apoio à inovação. 38%  do financiamento nesta área (23.9 M€) foi captado por empresas.  

Dois projetos financiados são coordenados por instituições portuguesas: 

BioValue Valor da Biodiversidade na Política e Planeamento Espacial  alavancando mudanças multiníveis e transformadoras. Liderado pela Associação  do Instituto Superior Técnico para a Investigação e Desenvolvimento (IST-ID),  visa proteger e aumentar a biodiversidade através de ferramentas de  ordenamento do território, de avaliação de impacto ambiental e ainda  instrumentos financeiros e económicos. 

REALMReutilizando Efluentes da Agricultura para Desbloquear o Potencial das  Microalgas. Liderado pela NECTON – Companhia Portuguesa de Culturas  Marinhas, pretende aproveitar as águas de drenagem ricas em nutrientes de  explorações sem solo para a produção de microalgas, tratamento da água e  ainda a captação de dióxido de carbono. 

Cluster 2 do Horizonte Europa: Cultura, Criatividade e Sociedade Inclusiva  

O montante atribuído destina-se a nove projetos inovadores para os setores da Cultura,  Educação e Democracia com participação de 16 entidades nacionais. Quatro destas entidades – Coliseu do Porto, Fórum Dança – Associação Cultural, FITEI – Festival  Internacional de Teatro de Expressão Ibérica e Medidata.net – Sistemas de Informação  para Autarquias – estrearam-se na captação de financiamento no programa-quadro  europeu de I&I.  

No total, foram submetidas 152 propostas com participação nacional, das quais 16  foram selecionadas para financiamento, correspondendo a cerca de 2,4 % do  financiamento global disponível.  

Um dos projetos é coordenado por uma entidade nacional: 

In Situ – Inovação baseada na localização de indústrias culturais e criativas em  áreas não urbanas, que irá estudar as práticas, capacidades e potencial inovador  das indústrias culturais e criativas em zonas não urbanas.

É coordenado pelo  Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra “Estes são resultados que vêm consolidar o bom desempenho nacional nos programas quadro europeus. As empresas portuguesas captaram cerca de 40% do financiamento  nacional em Ambiente e Biotecnologia, o que é um resultado expressivo da dinâmica  empresarial crescente neste tipo de instrumentos. No caso da Cultura, Educação e  Democracia verificamos que a taxa de financiamento neste primeiro ano do Horizonte  Europa é, para já, o triplo da alcançada no primeiro ano do Horizonte 2020 (anterior  programa-quadro). Saudamos ainda as 19 entidades portuguesas que pela primeira vez  captam financiamento europeu, evidenciando a excelência científica nacional. Não  poderia deixar de salientar que há três Laboratórios Colaborativos (CoLABOR,  Associação Oceano Verde e o Sustainable and Smart Aquaculture) na lista das entidades  que captam financiamento, o que demonstra que estão ativos na captação de  financiamento para os projetos que desenvolvem”, afirma Joana Mendonça, presidente  da ANI.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado