Receitas da Huawei caem 29% em 2021

As sanções norte-americanas continuam a pesar na demonstração de resultados da gigante chinesa, que vê, aos olhos do seu Presidente Guo Ping, um novo ano “cheio de desafios”.

Guo Ping, Presidente executivo da Huawei

Segundo a Reuters, o Presidente executivo da Huawei, Guo Ping, antecipou, numa carta aos seus colaboradores, uma quebra de receitas de cerca de 29% em 2021. Uma recessão semelhante à que sofreu no primeiro semestre do ano, pelo que o gigante chinês vê como a tendência se manteve ao longo de 2021. No total, ganhou cerca de 99 mil milhões de dólares, o que significa que deixou de ganhar cerca de 22 mil milhões de dólares em comparação com 2020.

As causas são as consequências das sanções norte-americanas, que começaram em 2019, uma quota de consumo mais fraca devido à crise do COVID-19 e à escassez de semicondutores no mundo. Por isso, Guo espera um novo ano “desafiante” com um ambiente de negócios “imprevisível”, no qual ” a politização da tecnologia e o crescente movimento de desglobalização apresentam novos desafios”.

De qualquer forma, o plano da empresa é continuar a fornecer infraestruturas de TIC e novos dispositivos. “Temos de seguir a nossa estratégia e responder racionalmente às forças externas que estão fora do nosso controlo”, disse o Presidente da empresa, na carta.

O golpe mais duro para a tecnologia passa pela sanção imposta pela administração norte-americana em 2019 sob o mandato de Donald Trump, que a proibiu de usar o sistema operativo Android para os seus smartphones, além do veto de usar o seu software em organizações públicas do país.

Comparativamente ao terceiro trimestre de 2021, a Huawei caiu 38% em relação a 2020.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado