Previsões para 2022

Os dados serão fundamentais para a recuperação económica de qualquer organização.

Por Adaire Fox-Martin, Presidente da Google Cloud EMEA

O impacto da COVID-19 foi devastador. As perdas sociais e económicas em todo o mundo não têm precedentes e há previsões que sugerem que o PIB europeu está ainda a um ano de distância da estabilidade pré-pandemia. Apesar de todas as incertezas dos últimos dois anos, não é surpresa que muitos estejam a olhar para 2022 com a recuperação em mente. E, estão especificamente a olhar para a indústria de tecnologia para a atingir. 

No mercado global pós-COVID-19, a Cloud aberta e as soluções de análise de dados (analytics) terão um papel central na recuperação económica. As ferramentas de análise de dados e o acesso a conjuntos de dados públicos irão fornecer as informações, as análises e as projeções necessárias para ajudar na estratégia e a modelar a recuperação económica. Levamos muito a sério o nosso papel na recuperação económica da Europa. Em conjunto com os nossos parceiros, estamos a disponibilizar aos nossos clientes as soluções de que precisam para lidar com o impacto contínuo da pandemia. Por exemplo, ao expandir a utilização do Google Workspace, a empresa farmacêutica global Roche foi capaz de mudar suavemente as suas operações para um ambiente remoto e manter os funcionários ligados durante a pandemia. Noutro ponto, a parceria da Google Cloud com o Groupe Rocher levou a empresa a realizar uma ampla implementação de TI, impulsionando as suas iniciativas de comércio eletrónico num período de confiança reduzida do consumidor.

Além de disponibilizar soluções diretas aos clientes, a Google Cloud foi membro fundador da Emer2gent no ano passado: uma nova aliança de dados COVID-19 para apoiar empresas e governos na recuperação económica da COVID-19. Em 2022, iremos assistir a um número crescente de colaborações, migrações Cloud e parcerias a tomarem forma, o que aumentará exponencialmente as capacidades de uma recuperação económica baseada em dados.

Cloud será fundamental para práticas de TI mais verdes

Na Google Cloud, preocupamo-nos profundamente na promoção de práticas de TI mais ecológicas, tanto internamente como para os nossos clientes, e isto tem sido uma prioridade nossa há bastante tempo. Em 2020, assumimos o compromisso de operar com energia livre de carbono 24 horas por dia, 7 dias por semana, na próxima década, e estamos extremamente orgulhosos do nosso progresso nos últimos 12 meses. Também estamos orgulhosos de ter estendido as nossas capacidades aos clientes, capacitando-os para enfrentarem os desafios climáticos únicos dos seus respectivos setores e para descarbonizarem aplicações digitais e infraestrutura. No próximo ano, as inovações lideradas pela Cloud levarão a luta contra as alterações climáticas para novos patamares.

De acordo com a Accenture, as migrações para a Cloud pública poderão reduzir as emissões globais de CO₂ em 59 milhões de toneladas por ano – o equivalente a remover 22 milhões de carros das estradas. Para se atingir isto e muito mais, em 2022, iremos ver as empresas a inovar e a colaborar em todos os setores para tirarem partido dos serviços Cloud ambientalmente responsáveis de maneiras novas e inovadoras. As alterações climáticas são uma questão global e, através de iniciativas de colaboração como o recém-lançado 24/7 CFE Compact, empresas, organizações e governos estão agora mais bem equipados para impulsionarem a resposta global necessária.

Confiança será a palavra de ordem para as grandes tecnológicas

Nos últimos dois anos, as empresas aumentaram, mais do que nunca, os seus investimentos digitais, tendo sido forçadas a adaptarem-se e a progredirem mais rapidamente do que imaginávamos ser possível. Mas não há dúvida de que, ao mesmo tempo, que vimos algumas mudanças impressionantes e novas oportunidades neste espaço, enfrentamos um número igual de novos riscos de cibersegurança. De facto, entre 2020 e 2021, duplicou o número de ciberataques notáveis contra alvos europeus críticos, deixando muitos com o sentimento de vulnerabilidade no novo cenário digital. Para permanecer seguro à medida que caminhamos para 2022, os fornecedores de soluções deverão abordar estas preocupações de frente, colocando a confiança, a privacidade e a segurança na linha da frente da sua oferta.

A confiança é chave. Isto significa que as empresas de tecnologia estabelecidas deverão fazer tudo ao seu alcance para provar a sua confiabilidade e realçar o seu compromisso com a proteção da privacidade dos utilizadores e as preocupações com a segurança. Claro, isto vale para a Google também. Através de iniciativas como a nossa equipa de Ação de Cibersegurança permanecemos transparentes com os clientes, ao mesmo tempo que reforçamos a segurança dos dados e a privacidade para responder à procura e para conduzir a transformações seguras para as organizações em todo o mundo.

A soberania digital será essencial para a inovação global

No próximo ano, a soberania digital tornar-se-á numa das principais prioridades para empresas, organizações e governos europeus, proporcionando controlo e segurança. Com os serviços Cloud em qualquer região, sempre dependentes de políticas, as organizações irão virar-se para tecnologias de código aberto pela flexibilidade de implementar ou migrar cargas de trabalho críticas em plataformas de Cloud pública ou para fora delas e proteger dados confidenciais caso a política mude. Os serviços cloud abertos que se alinhem com a visão original da Internet – em rede e conectada – serão fundamentais para a concretização da soberania digital em todo o mundo. Tanto é verdade que a Gartner espera que os serviços de Cloud pública sejam essenciais para 90% da inovação em dados e análise de dados em todo o mundo em 2022.

Soluções construídas em tecnologias em código aberto são essenciais para este processo. Por exemplo, tecnologias como Anthos, uma plataforma baseada em Kubernetes para ambientes multicloud permitem que os clientes beneficiem dos mais recentes desenvolvimentos em tecnologia Cloud numa plataforma segura e privada. No ano passado, lideramos o desenvolvimento de plataformas Cloud soberanas com parceiros na Alemanha e em França permitindo que empresas públicas e privadas acolhessem dados com segurança nos seus respectivos países ao mesmo tempo que mantinham a flexibilidade dos serviços de Cloud pública. Mas isto é apenas o começo; À medida que o mercado global continua a crescer e a diversificar-se, os dados de fluxo livre, hospedados em Cloud aberta, irão desempenhar um papel cada vez mais central no desenvolvimento de negócios, nas organizações e governos em todo o mundo.

Conversão de dados em valor (Data-tovalue) ao serviço do negócio 

Numa sociedade que prioriza o digital, os dados reinam de forma suprema. A capacidade de recolher dados, obter detalhes acionáveis e aplicá-los para resolver problemas de negócio não é só inestimável mas também essencial para inúmeras empresas que dão prioridade à transformação digital. Em 2022, grandes e pequenas empresas irão apoiar-se em soluções Cloud para dados para transformações anteriormente impraticáveis, gerando valor para o negócio de forma segura, transparente e protegida.

É claro que muitas empresas já estão a fazer isto. De acordo com uma pesquisa da Harvard Business Review, estas empresas estão a tirar partido dos seus dados para permitir recursos de análise em tempo real, acesso a informações por toda a empresa, machine learning automatizado para análises preditivas e muito mais. Para citar apenas um exemplo, a Vodafone, empresa de telecomunicações e parceira do Google Cloud, está a usar dados para oferecer produtos e serviços personalizados a clientes em toda a Europa. As empresas devem seguir o exemplo e dar prioridade à conversão de dados em valor em 2022, ou correm o risco de ficar para trás.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado