Empresas europeias querem requalificar um milhão de pessoas em situação de desemprego

Var ter iníco em Portugal o primeiro projeto piloto do programa Reskilling 4 Employment (R4E), uma iniciativa empresarial a nível europeu que pretende, até 2025, requalificar um milhão de profissionais no desemprego ou em profissões em risco na Europa, permitindo o desenvolvimento de competências em áreas com maior procura de trabalhadores qualificados.

A transformação das economias pela dupla transição climática e digital e potenciada pela crescente utilização de novas tecnologias, tais como a inteligência artificial e a automação, terão um papel cada vez mais preponderante na sociedade e, em especial, nas novas necessidades do mercado de trabalho. A pandemia COVID-19 veio acelerar estas tendências, tornando ainda mais urgente a necessidade de uma abordagem conjunta à requalificação da população. Paralelamente surge uma luta nos mais variados setores da economia por talentos nas principais tecnologias de TI, como cloud, cibersegurança machine learning que cresce em intensidade e geografia.

O programa Reskilling 4 Employment (R4E), vem ajudar a mobilizar instituições dos setores público, privado e social para contribuir para superar este desafio na Europa. Desenhado pela European Round Table for Industry (ERT), uma associação que junta cerca de 60 das maiores empresas europeias, este programa tem como objetivo combater o desemprego e promover a requalificação de profissionais para a dupla transição digital e climática. Para tal, estão em preparação projetos-piloto em Portugal, Espanha e Suécia, sendo as primeiras ações de formação agora apresentadas no nosso país, com a presença da Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social Ana Mendes Godinho, com o Secretário de Estado Adjunto do Trabalho e da Formação Profissional Miguel Cabrita, António Leite, Vice-Presidente do IEFP e representantes da Sonae, da SAP e da Nestlé.

Em Portugal, o programa é impulsionado pela Sonae, SAP e Nestlé (membros do ERT) e pelo Instituto do Emprego e da Formação Profissional (IEFP), em colaboração com o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social e outras empresas do setor privado como a EDP, a Delta Cafés e a Sogrape. Entre as áreas prioritárias de atuação definidas estão a indústria, o digital, a economia verde, a excelência nas vendas, a agricultura e a saúde.

Lançamento do programa “PRO_MOV by Reskilling 4 Employment”

No âmbito do projeto piloto português PRO_MOV, a primeira ação de formação será liderada pela Nestlé, dirigindo-se à requalificação de profissionais para o setor da Indústria. A formação para Técnicos de Manutenção irá arrancar em janeiro de 2022 no Serviço de Formação do Porto do IEFP e terá a duração aproximada de seis meses. Mais informação pode ser encontrada no website do IEFP.  

O desenho desta formação contou também com o apoio de várias empresas do setor como a ATM Total, a BA Glass, a Bondalti, os CTT, a Delta Cafés, a ETSA, a Salvador Caetano, a Secil, a Sogrape, a Sonae Arauco e a Sonae MC. 

Em breve, serão anunciadas novas ações de formação em diversas áreas profissionais, lideradas por empresas de referência no respetivo setor de atividade: Sogrape em Agricultura, SAP em Digital, EDP em Economia Verde e Delta Cafés em Sales Excellence.

Os candidatos selecionados terão acesso ao programa de formação tecnológica de cariz intensivo que inclui formação prática em contexto real de trabalho, acompanhada pReskilling 4 Employment (R4E), or um profissional da empresa com experiência na área, bem como ao apoio por parte da rede PRO_MOV para encontrarem emprego após conclusão da formação.

Este projeto piloto em Portugal terá como principal objetivo a testagem de um novo modelo de requalificação que apoia os formandos ao longo do seu processo de requalificação, que será fundamental para que o projeto ganhe escala no futuro.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado