re: Invent: AWS anuncia três novas instâncias do Amazon EC2 compatíveis com Arm

Com os novos processadores Graviton3, a AWS promete desempenho até 25% melhor em relação às instâncias da geração atual com processadores.

Nesta terça-feira (30), durante o re: Invent, a Amazon Web Services (AWS), anunciou três novas instâncias do Amazon Elastic Compute Cloud (Amazon EC2), próxima geração de processadores de servidor compatíveis com Arm caseiros da AWS. As instâncias do Amazon EC2 C7g com os processadores AWS Graviton3 fornecem desempenho até 25% melhor para cargas de trabalho de computação intensiva em relação às instâncias C6g da geração atual com processadores AWS Graviton2, segundo a empresa.

“Com os nossos investimentos em chips projetados pela AWS, os clientes perceberam enormes benefícios de desempenho de preço para algumas das cargas de trabalho mais críticas de negócios da atualidade. Estes clientes pediram-nos para continuar a expandir os limites com cada nova geração de instância EC2”, disse David Brown, vice-presidente, Amazon EC2 na AWS.

Além da promessa de desempenho superior, segundo a AWS, os processadores AWS Graviton3 também oferecem desempenho de ponto flutuante até 2x maior para cargas de trabalho científicas, de machine learning e codificação de mídia, desempenho até 2x mais rápido para cargas de trabalho criptográficas e desempenho até 3x melhor para cargas de trabalho de machine learning, em comparação com os processadores AWS Graviton2 da geração anterior.

Os processadores AWS Graviton3 também são mais eficientes em termos de energia. Segundo a empresa, usam até 60% menos energia para o mesmo desempenho do que instâncias EC2 comparáveis. Além disso, as instâncias C7g são as primeiras na nuvem a apresentar a memória DDR5 mais recente, que fornece largura de banda de memória 50% maior em comparação com as instâncias baseadas em AWS Graviton2.

As instâncias C7g também oferecem largura de banda de rede 20% maior em comparação com as instâncias baseadas em AWS Graviton2, de acordo com a AWS.

As instâncias C7g suportam Elastic Fabric Adapter (EFA), que permite que as aplicações se comuniquem diretamente com as placas de interface de rede, proporcionando latência mais baixa e consistente, para aprimorar o desempenho de aplicações que requerem processamento paralelo em escala, como HPC e codificação de vídeo.

Jeff Barr, executivo da AWS, observou que estes novos chips e dispositivos devem ser bastante úteis para uma ampla variedade de cargas de trabalho, incluindo computação intensiva. “HPC, processamento em lote, automação de projeto eletrônico (EDA), codificação de mídia, modelagem científica, veiculação de anúncios, análise distribuída e inferência de machine learning baseada em CPU”.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado