Xiaomi consolida crescimento em receitas e com lucro no treceiro trimestre de 2021

A Xiaomi anunciou os resultados consolidados não auditados para os três e seis meses terminados em 30 de setembro de 2021.

Por João Miguel Mesquita

Enquanto a empresa se mantém otimista, as suas ações caíram 6,96%, cotadas em 19,26 HKD (cerca de €2,47).

A Xiaomi gera a maior parte das suas receitas com as vendas de smartphones, que aumentaram 0,4% para 47,8 mil milhões de CNY (cerca 7,49 mil milhões de euros) nos três meses a 30 de setembro.

No entanto, os envios de smartphones caíram 5,8% ao ano no terceiro trimestre, para 43,9 milhões de unidades. A escassez global de chips foi uma das razões apontadas  para a queda, de acordo com a empresa.

A Xiaomi aumentou a sua quota no mercado chinês com a ajuda da queda da rival Huawei devido ao impacto das sanções norte-americanas. Mas a concorrência é feroz, a Oppo e a Vivo, bem como a Honor, não dão tréguas na luta pela liderança do maior mercado do mundo.

A Honor chegou mesmo a superar a Xiaomi e alcançou a terceira maior quota no mercado chinês de smartphones no trimestre julho-setembro, de acordo com os dados da Canalys.

As encomendas da Xiaomi na China cresceram apenas 4% ao ano, segundo a Canalys. Ainda assim, as suas vendas globais de smartphones no mercado chinês caíram 5%.

A Xiaomi contra-atacou focando-se no retalho de lojas físicas. No mês passado, a empresa abriu a sua loja número 10.000 na China. O objetivo é triplicar o número nos próximos dois a três anos.

A Xiaomi também gera receitas decorrentes da venda de anúncios online e outros tipos de hardware para o mercado B2C. A sua unidade de serviços de internet, que fatura principalmente através de anúncios em várias aplicações, subiu 27% no ano.

Excluindo ganhos e perdas pontuais, a Xiaomi obteve lucros de 5,18 mil milhões de CNY, em grande parte em linha com as expectativas médias dos analistas de 5,09 mil milhões de CNY.

Análise trimestral de desempenho

As receitas dos serviços de Internet atingem um novo recorde trimestral

No terceiro trimestre, a rentabilidade da Xiaomi continuou a reforçar-se à medida que as receitas dos serviços de internet atingiram RMB 7,3 mil milhões (cerca de 1.015 milhões de euros), atingindo um novo máximo trimestral, representando um aumento de 27,1% face ao ano anterior. A margem bruta de lucro do segmento dos serviços de Internet foi de 73,6%, 13,1 pontos percentuais acima do mesmo período do ano passado.

Entretanto, a base global de utilizadores do Grupo continuou a expandir-se rapidamente no terceiro trimestre. Em setembro de 2021, o MAU (número de utilizadores mensais ativos) do MIUI aumentou 32,0% em relação ao ano anterior para 485,9 milhões. Desde 22 de novembro de 2021, os utilizadores globais ativos do MIUI durante 30 dias excederam pela primeira vez 500 milhões, assinalando mais um marco na expansão global de Xiaomi. Em setembro de 2021, o MAU global da Smart TV de Xiaomi e Xiaomi Box expandiu mais de 33,0% em relação ao ano anterior. A 30 de Setembro de 2021, o número de assinantes de TV paga do Grupo era de 4,7 milhões, um aumento de 13,5% em relação ao ano anterior.

No terceiro trimestre de 2021, as receitas publicitárias da Xiaomi atingiram RMB 4,8 mil milhões (cerca de 668 milhões de euros), um aumento de 44,7% em relação ao ano anterior, principalmente devido à expansão da base de utilizadores, maior percentagem de utilizadores de smartphones premium e maior capacidade de monetização. As receitas de jogos da Xiaomi atingiram RMB 1,0 mil milhões (cerca de 139 milhões de euros), aumentando 25,0% em relação ao ano anterior, devido ao forte desempenho dos novos jogos de alta qualidade e a uma maior receita média de jogos por utilizador (“ARPU”) impulsionada pelos smartphones premium e pelos smartphones de jogo. As receitas de outros serviços de valor acrescentado da Xiaomi ascenderam a RMB 1,6 mil milhões (cerca de 222 milhões de euros) no terceiro trimestre.

No terceiro trimestre de 2021, as receitas dos serviços de Internet fora da China da Xiaomi aumentaram 110,0% em relação ao ano anterior para RMB 1,5 mil milhões (cerca de 208 milhões de euros), representando 19,9% das receitas totais dos serviços de Internet, estabelecendo outro recorde trimestral. É objetivo da empresa continuar a expandir e a aprofundar a colaboração com os parceiros comerciais globais do Grupo e a explorar ativamente novas ofertas de serviços de Internet nos mercados fora da China.

A Xiaomi afirma-se empenhada em investir na investigação e desenvolvimento, com objetivo de aumentar a competitividade dos seus produtos. Nos primeiros três trimestres de 2021, as despesas acumuladas de investigação e desenvolvimento do Grupo atingiram RMB 9,3 mil milhões (1.294 milhões de euros), o que representa um aumento de 51,4% face ao ano anterior. Em setembro de 2021, Xiaomi introduziu o Xiaomi Smart Glasses, um visor de informação visual e características interativas. Em novembro de 2021, a Xiaomi lançou a Tecnologia Loop LiquidCool, que melhora a dissipação de calor dos smartphones sob utilização intensiva. A 30 de Setembro de 2021, a equipa de investigação e desenvolvimento de Xiaomi totalizava 13.919 colaboradores, representando mais de 44% do total de trabalhadores.

Rendimentos robustos fora da China com envios de smartphones classificados no 1.º lugar em 11 países e regiões

As receitas da Xiaomi no estrangeiro atingiram RMB 40,9 mil milhões (cerca de 5.692 milhões de euros) durante o terceiro trimestre de 2021, representando 52,4% das receitas totais. Apesar da escassez global de componentes-chave, a Xiaomi solidificou a sua posição no mercado, otimizando a alocação de recursos no mercado global e reforçando os seus canais de acordo com as condições do mercado local. De acordo com a Canalys, a quota de mercado da Xiaomi em envios de smartphones no terceiro trimestre classificou-se no n.º 1 em 11 países e regiões e entre os cinco primeiros em 59 países e regiões a nível mundial.

A Xiaomi continuou a aprofundar a sua presença no mercado global no terceiro trimestre. De acordo com a Canalys, no terceiro trimestre de 2021, a Xiaomi ocupava o segundo lugar na Europa, com uma quota de mercado de 21,5% nos smartphones. Na Europa Ocidental, a quota de mercado dos smartphones Xiaomi atingiu 17,0% e classificou-se entre os três primeiros em termos de envios; na Europa Central e Oriental, a Xiaomi classificou-se no 2º lugar, com 28,7% de quota de mercado de envios de smartphones. No terceiro trimestre de 2021, a Xiaomi vendeu mais de 6,8 milhões de smartphones através de canais de operadores em mercados estrangeiros, excluindo a Índia, representando um aumento de mais de 130% em relação ao ano anterior. Segundo a Canalys, a quota de mercado dos smartphones Xiaomi nos operadores da Europa Ocidental aumentou de 4,6% no terceiro trimestre de 2020 para 13,0% no terceiro trimestre de 2021.

Ao mesmo tempo, a Xiaomi continuou a reforçar a sua competitividade nos mercados emergentes. De acordo com a Canalys, no terceiro trimestre de 2021, as quotas de mercado da Xiaomi na América Latina, Médio Oriente e África atingiram 11,5%, 16,3% e 7,3%, respetivamente. Além disso, a Xiaomi manteve a posição n.º 1 em remessas de smartphones na Índia pelo 16.º trimestre consecutivo.

Os envios de smartphones no 3.º trimestre classificaram-se em 3.º lugar a nível mundial com avanços contínuos no mercado premium

No terceiro trimestre de 2021, apesar da escassez global de componentes-chave, os envios globais de smartphones do Grupo atingiram 43,9 milhões. Segundo a Canalys, no terceiro trimestre de 2021, os envios globais de smartphones do Grupo ocuparam o terceiro lugar, com uma quota de mercado de 13,5%. As receitas de smartphones do Grupo totalizaram RMB 47,8 mil milhões (cerca de 6.652 milhões de euros) com uma margem bruta de 12,8%, um aumento de 4,4 pontos percentuais em relação ao ano anterior.

A estratégia de segmentação dos utilizadores e novos produtos da Xiaomi permitiu ao Grupo alargar a sua base de utilizadores. Para muitos dos novos smartphones lançados este ano, mais de metade dos utilizadores são novos utilizadores da Xiaomi.

Nos três primeiros trimestres de 2021, as remessas globais de smartphones Xiaomi com preços iguais ou superiores a RMB 3.000 na China continental e 300 euros, ou equivalente, nos mercados estrangeiros, totalizaram aproximadamente 18 milhões, representando mais de 12% do total das remessas. Nos mercados estrangeiros, o total de envios de smartphones com preços iguais ou superiores a 300 euros, ou equivalente, cresceu mais de 180% durante o terceiro trimestre, principalmente na América Latina, Europa Ocidental e Médio Oriente.

Estratégia “Smartphone x AIoT” continua, novos esforços de crescimento do retalho acelerados

As receitas do segmento de produtos Xiaomi IoT e lifestyle foram de RMB 20,9 mil milhões (cerca de 2.908 milhões de euros) durante o terceiro trimestre de 2021, aumentando 15,5% face ao ano anterior. Notavelmente, as receitas da Xiaomi IoT e dos produtos de lifestyle no estrangeiro atingiram um novo recorde, apesar dos desafios em termos de logística e transporte marítimo no estrangeiro neste trimestre.

No terceiro trimestre, no contexto de um declínio anual do volume global de vendas de televisores, os envios globais de Smart TVs da Xiaomi atingiram 3,0 milhões com um aumento anual de 19,5% das receitas.

Além disso, a Xiaomi expandiu as suas categorias de eletrodomésticos inteligentes premium para ajudar os utilizadores a criar um ambiente de vida saudável e confortável. No terceiro trimestre, a Xiaomi lançou eletrodomésticos inteligentes, incluindo o Frigorífico Inteligente de quatro portas Xiaomi 550L e a Máquina de Lavar Roupa Xiaomi Mini. Os aparelhos de ar condicionado com ventilação inteligente da Xiaomi também tiveram um bom desempenho.

A plataforma AIoT da Xiaomi continua a expandir-se. Desde 30 de Setembro de 2021, o número de dispositivos IoT ligados (excluindo smartphones, tablets e computadores portáteis) na sua plataforma AIoT excedeu pela primeira vez os 400 milhões. O número de utilizadores com cinco ou mais dispositivos ligados à sua plataforma AIoT (excluindo smartphones, tablets e computadores portáteis) excedeu os 8 milhões.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado