Huawei promove educação e responsabilidade digital em escolas portuguesas

A sala de aula móvel da Huawei é dedicada a crianças em idade escolar e visitará, até ao início de dezembro, cerca de duas dezenas de cidades distribuídas por todo o território nacional.

Sob o lema “Partilhar sem arriscar”, a Huawei Portugal apresenta hoje a sua edição de 2021 do SmartBus, projecto educativo da empresa voltado para jovens em idade escolar que, durante um mês, vai percorrer o País de Norte a Sul, tendo como principal objectivo promover, junto de crianças e adolescentes portugueses entre os 10 e os 14 anos de idade, a utilização segura e responsável das novas tecnologias.

A apresentação do Huawei SmartBus ocorre hoje no Externato Maristas, em Lisboa, aí permanecendo durante todo o dia, para depois iniciar a sua digressão que vai visitar vários estabelecimentos escolares distribuídos por todo o território nacional – com as portas abertas para receber crianças, pais e professores, o SmartBus, que tem passado por vários países europeus, pretende contribuir para o aumento da consciencialização sobre o bom uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) através das sessões didáticas ministradas nesta sala de aula móvel da Huawei.

Para Tony Li, CEO da Huawei Portugal, o compromisso com a educação e o compromisso social “são dos principais pilares da nossa empresa”, pelo que, acrescenta o responsável, a Huawei “está extremamente orgulhosa de poder dar este contributo à sociedade com um projecto que incentiva o desenvolvimento de ambientes digitais seguros e responsáveis, beneficiando jovens, famílias e escolas de todo o País”. Na visão de Tony Li, “as crianças são o nosso futuro e, portanto, uma boa formação e educação no ecossistema tecnológico são essenciais para o seu desenvolvimento”.

Por sua vez, Diogo Madeira da Silva, Head of Public Affairs & Communication da Huawei Portugal, faz questão de destacar não só a “alargada rota do SmartBus, que vai levar a nossa sala de aula móvel a todo o território nacional”, mas também “o compromisso social de longo prazo da Huawei, e especificamente em educação e novas tecnologias”, elementos que, adianta, “estão incorporados nesta iniciativa pedagógica”. Recordando que o projeto SmartBus Huawei tem passado por vários países europeus desde o seu lançamento, Diogo Madeira da Silva frisa que estudantes, pais e educadores “vão ter a possibilidade de receber formação detalhada, através de um modelo didático e lúdico, para utilizar as TIC de maneira segura e responsável”. Basicamente, diz ainda, “é tudo uma questão de partilhar sem arriscar, procurando formar e informar de uma perspetiva positiva, o que ajuda a construir os jovens talentos de Portugal”.

Huawei contribui para a conscientização da segurança cibernética em crianças

De acordo com o relatório EU Kids Online 20201, mais de 80% das crianças entre os nove e os 16 anos utiliza um smartphone para aceder à Internet, enquanto 47% recorre a um PC ou laptop. Quanto a vivências no mundo virtual, importa salientar uma das conclusões deste estudo, nomeadamente o facto de mais de 20% das crianças entre os nove e os 14 anos ter reportado que sofreu más experiências na web, sendo que 44% dos inquiridos procuraram aconselhar-se junto de amigos e 37% falaram com os pais de situações que os deixaram incomodados, e apenas 7% falaram com professores sobre este tipo de situações. Porém, os resultados do relatório EU Kids Online 2020 evidenciam que as crianças e os jovens portugueses associam cada vez menos as situações de risco aos danos que podem decorrer delas.

Nesse contexto, a cibersegurança é um claro desafio para adultos e jovens, pelo que é importante que os adolescentes saibam usar as redes sociais com segurança e que os pais aprendam a utilizar a mesma tecnologia que seus filhos. Ou seja, a educação e a pedagogia são elementos essenciais para conhecer os riscos e as formas de protecção contra qualquer risco cibernético.

Com o projecto SmartBus, a Huawei procura contribuir para a educação dos mais jovens em Portugal, transmitindo os benefícios das TIC para aproveitar ao máximo e evitar os perigos que podem levar ao seu uso inadequado. A iniciativa, que estará activa até ao início do mês de dezembro e inclui uma conferência sobre o tema a levar a cabo na cidade do Porto e que fecha este roadshow nacional, alcançará entre quatro a cinco mil estudantes de duas dezenas de escolas, localizadas em cerca de 20 cidades de Norte a Sul do País.

Formação interativa e colaborativa em sala de aula

As sessões, de caráter formativo mas também lúdico, têm duração de 55 minutos, com 25 pessoas por turma, e incluem dois educadores especializados e experientes, sendo realizadas numa sala de aula escolar simulada no interior do SmartBus, o qual possui inúmeros dispositivos interactivos que servem para desenvolver actividades ou dinâmicas levantadas durante a sessão informativa e didática.

Mesa Táctil: dispositivo no qual é possível encontrar informação útil sobre a Huawei e descobrir quais são os principais perigos da Internet e conselhos práticos para saber como preveni-los/evitá-los.

Surface: acesso aos principais projectos e marcos históricos da Huawei no que se refere a parcerias e ações de responsabilidade social (ex: ICT Academy, Seeds for the Future, ICT Talent Development, entre outros), incluindo conteúdos e vídeos sobre as Huawei Stories (ex: StorySign).

Big Smartphone: acesso a dicas úteis para saber navegar na Internet e usar as redes sociais sem perigo; acesso às redes sociais da Huawei, links e redes dos seus principais parceiros e stakeholders institucionais, sites informativos e de ajuda aos jovens (ex: Linha Alerta/Internet Segura).

Detective Privado: aplicação da Huawei, especificamente desenhada para o projecto SmartBus. Disponibiliza noções básicas sobre o uso responsável das redes sociais em termos de privacidade, além de ensinar a detectar alguns dos perigos mais frequentes.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado