Empresas de código aberto projetam como será a nuvem do futuro

O modelo de negócio das empresas que desenvolvem software gratuito sempre esteve na nuvem; um ambiente que levou alguns deles à excelência em operações em nuvem.

No entanto, a evidência de que a natureza empresarial dos developers de “open source” sempre esteve na nuvem não significa que a implementação das suas atividades tenha sido um mar de rosas, uma vez que todas elas têm de resolver o desafio de como fazer dinheiro, fornecendo um tipo de aplicação que, por definição, é licenciada gratuitamente.

Como aponta o especialista canadiano Tim Bray, que também foi um dos coautores das especificações da XML, “as qualidades necessárias para desenvolver software de código aberto de qualidade estão nas que são eficazes no avanço das operações empresariais.”

Embora a apreciação de Bray seja verdadeira, também é verdade que algumas empresas de código aberto se tornaram excecionalmente proficientes em operações em nuvem nos últimos anos.

Rentabilizar o desenvolvimento de fonte aberta através da nuvem

O lançamento da plataforma Confluent no início deste ano cumpriu a promessa de colocar dados em movimento através de um serviço de nuvem totalmente gerível ou de gerir o ambiente a partir de uma nuvem privada. Esta empresa é a campeã do projeto Apache Kafka (arquitetura baseada em eventos) e para cobrir os custos derivados deste desenvolvimento, a Confluent implementou um serviço de nuvem em 2017.

Até agora, o negócio da Confluent na nuvem representa 22% do total das receitas da empresa, o crescimento do seu negócio na nuvem tem sido de 200% desde 2017, mantendo taxas anuais de 134% e um aumento da receita de 64% no último trimestre deste ano.

“Chegar aqui não é fácil”, diz Bray sobre o histórico da Confluent, dada a extrema complexidade de desenvolver uma infraestrutura de nuvem consistente e de classe mundial. “Só construir uma infraestrutura de software que possa ser integrada em qualquer tipo de nuvem, que seja adaptável a qualquer região, que tenha as tecnologias de conectividade necessárias para a sua implantação em todos os tipos de ambientes e que, além disso, tem mecanismos de segurança, já é uma conquista.”

O especialista salienta ainda que, se algum destes objetivos não for cumprido, “o developer simplesmente não estará preparado para trabalhar com os melhores clientes”.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado