CPD prontos para a cloud vão liderar um novo modelo de conectividade

A Juniper Networks nota que os centros de dados ‘cloud ready’, juntamente com os processos de IA e automação, irão liderar a transição para uma nova arquitetura de rede.

O CEO da Juniper Networks, Manoj Leelanivas, salienta que a mudança para uma nova arquitetura de rede será facilitada pela inteligência artificial (IA), automação e centros de dados prontos para a nuvem, uma combinação de processos que permitirá às organizações partilhar, simplificar e proteger as suas infraestruturas tecnológicas.

“A ideia de que os utilizadores devem ter ferramentas que lhes permitam gerir todos os processos de negócio a partir da nuvem representa uma grande mudança para muitas empresas, uma vez que a maioria deles tem um grande número de micro-sites, bem como utilizadores remotos e delegações que precisam de ser geridos. Este contexto de conectividade tornou-se muito mais complexo para as grandes organizações, que têm uma infraestrutura de rede muito mais extensa e difícil de gerir”, diz Leelanivas.

Com esta proposta, que implica a necessidade de ter um novo modelo de conectividade baseado no CPD pronto para a cloud, a Juniper Networks apresenta o seu modelo de negócio no mercado que inclui também a oferta de software, bem como produtos de hardware e gestão.

“A nossa infraestrutura de rede permite-lhe ter rapidamente centenas de dispositivos multi-fornecedores conectados. Uma tarefa complexa que exigia muito tempo no passado”, diz Manoj Leelanivas.

Repositório de configurações, telemetria e validação de informação em tempo real

Da mesma forma, o executivo faz uma alusão à Apstra, uma aplicação que foi adquirida pela Juniper em dezembro passado, e que mantém um repositório em tempo real de configurações, telemetria e validação de informação para garantir, de forma contínua, que a rede está a executar o que o utilizador quer fazer.

O software inclui informações sobre as características do sistema em aspetos relacionados com a consistência da arquitetura de rede, desempenho do sistema e pontos relacionados com a segurança em cargas de trabalho que ocorrem tanto em infraestruturas de rede físicas como virtualizadas.

A ferramenta de análise baseada em intenções da Juniper realiza verificações constantes na rede para salvaguardar configurações, enquanto o seu hardware agnóstico pode ser integrado para trabalhar com produtos de outras marcas como Cisco, Arista, Dell, Microsoft e Nvidia/Cumulus.

“Com estes processos e ferramentas podemos recolher dados em qualquer ponto da rede e obter mais informação que enriqueça os conhecimentos contidos nas nossas ferramentas de IA, que nos permitem manter-nos afastados e resolver problemas de forma pró-ativa com um nível mínimo de interação humana.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado