Transformação Digital: Tendência ou Necessidade Estratégica?

A necessidade de transformação digital é impulsionada pela crescente pressão competitiva devido à manifestação acelerada e à proliferação de novas tecnologias digitais.

Por Saša Baškarada, Arquiteto Sénior de Transformação da Amazon Web Services

Tal como a agilidade, a transformação digital é um termo demasiadamente utilizado que pode ter significados diferentes para pessoas diferentes, correndo o risco de perder o sentido. Isto pode ser problemático, uma vez que, tal como a agilidade, a transformação digital é um conceito fundamentalmente importante que é essencial para o sucesso contínuo nos dinâmicos ambientes empresariais dos dias de hoje. 

A necessidade de transformação digital é impulsionada pela crescente pressão competitiva devido à manifestação acelerada e à proliferação de novas tecnologias digitais. Embora as tecnologias digitais possam ajudar a criar um novo valor, reduzir o risco e otimizar as operações, também aumentam a ameaça de novos concorrentes (diminuindo as barreiras à entrada) e substituem produtos ou serviços. Ao mesmo tempo, os clientes com conhecimentos tecnológicos estão a mudar as suas expectativas e comportamentos. Nenhuma indústria está aparentemente imune, como evidenciado, por exemplo, pelas perturbações da indústria hoteleira, causada pelo arrendamento de alojamento local, e dos serviços financeiros, motivadas pelas novas plataformas buy-now, pay-later (compre agora, pague depois), para dar alguns exemplos.

A transformação digital é especialmente relevante para empresas estabelecidas que estão a ser pressionadas a reinventar os seus modelos operacionais e de negócio. Uma organização pode aproveitar as tecnologias digitais para melhorar as atuais, ou futuras, capacidades  que lhe permita obter uma vantagem competitiva sustentável, criando e atraindo mais valor, bem como entrando potencialmente em novos mercados ou indústrias. 

A transformação digital é igualmente relevante para as organizações do setor público que se centram em melhorar a experiência dos cidadãos em  serviços governamentais através das tecnologias digitais. Da mesma forma, as empresas nativas digitais com origem na cloud, que dependem da qualidade e rapidez da sua inovação, não se podem dar ao luxo de ficar paradas e precisam de envolver-se numa transformação contínua.

Desta forma, é possível descrever três fases interdependentes de transformação digital: tecnológica, operacional, e estratégica. Embora pareça uma ideia linear, na realidade, uma organização poderá ser pressionada a enfrentar várias fases ao mesmo tempo, e numa ordem diferente. Por exemplo, as pressões competitivas do mercado podem forçar a reinventar urgentemente o modelo de negócio numa transformação estratégica. Isto forçaria uma empresa a transformar-se operacionalmente, reinventando o seu modelo operacional, o que, por sua vez, a obrigaria a transformar-se tecnologicamente ao mesmo tempo.

Transformação Tecnológica

Idealmente, o primeiro passo no percurso de transformação digital seria retirar a dívida técnica existente. Isto pode incluir a migração do volume de trabalho para a cloud e a modernização das tecnologias preexistentes. Embora centrado na tecnologia, este passo vai exigir também algumas mudanças nas capacidades de TI e no modelo operacional. Os resultados comerciais podem incluir uma redução do custo de propriedade, melhoria da produtividade da equipa de TI, maior resiliência operacional e maior agilidade técnica. A experiência mostra que a migração dos sistemas locais para a cloud baseada na AWS conduz a uma média de 31% de poupança de custos de infraestrutura, a uma gestão 62% mais eficiente da infraestrutura de TI, três vezes mais funcionalidades entregues por ano, uma redução de 69% no tempo de inatividade não planeado e 43% menos incidentes de segurança por ano. Depois de ter reformulado a dívida técnica, a atenção de uma organização deve centrar-se na otimização das suas operações comerciais.

Transformação Operacional

Uma vez reformulada a dívida técnica, uma empresa deve otimizar o modelo de funcionamento e tornar-se uma organização orientada para os dados. Isto pode incluir o aproveitamento de novas plataformas de dados e de análise para criar perceções úteis e melhorar a experiência do cliente, ou utilizar tecnologia de machine learning para automatizar os seus processos empresariais. Por exemplo, uma organização pode querer concentrar- se em melhorar a sua experiência de serviço ao cliente, produtividade e tomada de decisões dos colaboradores, previsão de negócios, deteção e prevenção de fraudes ou ainda operações industriais. Embora este passo seja provavelmente muito mais complexo do que uma transformação tecnológica, uma vez que envolve mudanças a nível empresarial, as melhorias resultantes na eficiência operacional, eficácia e agilidade vão conduzir, provavelmente, a grandes resultados empresariais. Embora a  transformação operacional possa ajudar a aumentar a produtividade, dado o ambiente  empresarial em contínua evolução, vai permitir reavaliar o modelo empresarial global.

Transformação Estratégica

Assim que uma empresa reestruture o seu débito técnico, otimize as suas operações e se torne uma organização orientada para os dados, pode ter a intenção de reinventar o seu modelo de negócio. A reinvenção do modelo de negócio é um exercício estratégico que reconsidera a forma como cria valor para o cliente e capta os lucros resultantes. Isto pode incluir o aproveitamento de tecnologias digitais para entrar em novos mercados ou indústrias e pode ser de particular relevância se o seu atual modelo de negócio se tiver tornado insustentável. Por outro lado, a transformação estratégica pode não ser uma prioridade se o atual modelo de negócio não estiver em risco. Quaisquer alterações ao modelo de negócio são suscetíveis de exigir capacidades empresariais novas ou melhoradas, o que, por sua vez, conduz à necessidade de uma maior transformação operacional e tecnológica.

Transformação Digital Contínua: uma Necessidade Estratégica

Como a inovação tecnológica não dá sinais de desaceleração, podemos esperar que a  necessidade de contínua transformação digital se torne, provavelmente, ainda mais urgente com o tempo. O objetivo final é tornar-se estratégica e operacionalmente ágil de modo a que a transformação contínua se torne parte do seu modus operandi.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado