Eis um novo chip para smartphones Google

Será a Tensor capaz de ressuscitar a linha Pixel?

Com a Pixel e agora, de mãos dadas com a Tensor, a Google está a tentar liderar o negócio do desenvolvimento de smartphones e semicondutores que integram os seus dispositivos mobile, tal como a Apple e a Samsung.

O sistema operativo Android da Google conquistou o universo da operacionalidade móvel para chegar ao topo do ranking do sistema operativo mais utilizado do mundo. No entanto, esta tendência em expansão não se tem vindo a registar noutras linhas de negócio do gigante da internet, como tem acontecido com a gama de telemóveis de consumo pixel lançados pela empresa há 8 anos.

Ao longo dos últimos 5 anos, a gama Pixel da Google não tem tido o sucesso esperado, apesar dos esforços da empresa para a colocar numa posição de liderança no domínio da produção móvel. Entretanto, a gama Pixel tem vindo a encolher o seu mercado até que, no primeiro semestre deste ano, a sua quota sofreu um novo revés, tendo caído 7% em face ao ano anterior, segundo a Counterpoint Research.

Hoje, no entanto, a Google anuncia a chegada de mais um Pixel. É um dispositivo que vai integrar o novo chip da Google que se chama: Google Tensor; foi desenvolvido pela Google Alphabet Inc., e apresenta avanços significativos sobre o seu antecessor.

A Alphabet indicou que o novo Tensor está preparado para gerir processos de inteligência artificial e aprendizagem automática e que incorpora mecanismos que permitirão acelerar tarefas relacionadas com o reconhecimento da fala, dados e imagens.

A excelência da Google nos processos de discurso, dados e reconhecimento de imagem é um trunfo a favor da organização e, mais importante ainda, consiste num pacote de serviços associados que se alimentará no poço sem fundo de informação em que a empresa prospera. O negócio mais importante da Google provém de anunciantes, que confiam nas ferramentas de inteligência artificial do gigante da internet na distribuição e otimização dos seus impactos.

Será a Tensor capaz de ressuscitar a linha Pixel?

Alguns analistas estão céticos quanto ao triunfo da Tensor, quando afirmam que a Google se recusa a partilhar quaisquer especificações técnicas ou métricas relacionadas com o desempenho do novo chip. É difícil para a Google superar rivais da indústria como a Apple ou a Qualcomm e os seus componentes de primeira geração.

Seja como for, o músculo de engenharia de chips da Google ainda está em forma, como demonstra o bom funcionamento das unidades de processamento de nuvem do tensor, que são usadas para acelerar as cargas de trabalho de aprendizagem automática.


Tags


Deixe um comentário

O seu email não será publicado