Escassez severa de semicondutores é a pior de sempre no setor

De acordo com as estimativas dos peritos, o mercado dos semicondutores poderá regressar aos níveis pré-Covid no prazo de dois anos; mas quem sabe como será o processo até lá.

Se ontem demos nota aqui no Computerworld  dos problemas da Microsoft com o fabrico da sua linha Surface PC devido à falta de certos microprocessadores; Hoje ficámos a saber que muitos fabricantes e montadores de produtos de alta tecnologia indicaram que continuam a lutar contra os seus problemas de abastecimento e com custos mais elevados em consequência do mesmo problema: escassez severa de semicondutores.

Um considerável número de empresas deste sector alega que a Covid-19 desencadeou uma explosão de teletrabalho em todo o mundo, o que levou a uma procura sem precedentes de engrenagens tecnológicas. Esta situação obrigou igualmente ao encerramento de numerosas fábricas de microprocessadores. Restaurar a produção nestas fábricas e renovar as cadeias de abastecimento para a fase pré-pandemia será um processo longo e tedioso, segundo os especialistas do setor.

“Esta situação no setor da produção de alta tecnologia é inédita, e o pior episódio de crise alguma vez sofrido por esta indústria, em que situações de altos e baixos muito frequentes ocorram devido à escassez de cobre, wafers para placas, trabalhadores, bem como logística e voos para levar as transferências para as fábricas… “Estou convencido de que esta situação vai continuar por muito tempo”, disse o presidente e CEO da Arista, Jayshree Ullal.

Este especialista salienta que, para além da escassez de componentes para centros de dados e servidores, outros produtos de TI que sofrem de impactos são os destinados a instalações de conectividade, “que inclui todos os níveis de componentes para a indústria”, admite Ullal, garantindo ao mesmo tempo que os prazos de entrega dos produtos de TI duplicaram em relação aos níveis de 2019 e que, no caso dos semicondutores, as remessas podem demorar até um ano, de acordo com a Arista.

Mercado de semicondutores pode recuperar em 2023

De acordo com as estimativas dos peritos, o mercado dos semicondutores poderá regressar aos níveis pré-Covid no prazo de dois anos; mas quem sabe como será o processo até lá. O custo dos servidores e dos equipamentos dos centros de dados aumentará devido à falta de chips, wafers, routers e comutadores. No entanto, a longo prazo, as previsões falam de uma dinâmica muito mais equilibrada entre a procura e a oferta, o que conduzirá a um novo crescimento do mercado.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado