O novo Windows 11 taz melhorias de performance e integra apps Android

A visão da Microsoft de tornar o Windows 11 uma plataforma mais aberta para criadores e consumidores reflete-se em duas novidades do sistema: uma nova loja de aplicações e a integração de apps Android.

Por Rafael Romer

O software traz uma recriação completa da interface do utilizador e do aspeto do Windows. O foco da empresa é simplificar o Windows como um todo, incluindo melhorias de desempenho, novas opções multitarefas e um idioma de design renovado.

O sistema operativo também reforça a ambição da Microsoft de ser uma plataforma aberta de criação e inovação, e fornece ferramentas para que os utilizadores e developers realizem e entreguem as suas criações de forma mais simples.

Esta ambição refletiu-se nas palavras do CEO da Microsoft, Satya Nadella, que classificou o Windows como uma “força democrática”, que tem dadoorigem ao longo da história a vários novos ecossistemas de produtos e serviços para a indústria. “O Windows sempre representou a soberania dos criadores e da agência para os consumidores”, disse. “Com o Windows 11, temos um sentimento renovado sobre a função das janelas no mundo.”

Segundo o líder da empresa, a nova versão do Windows baseia-se numa visão tripla que a empresa tem para o futuro: não existe computação pessoal sem escolha pessoal; Windows como palco para a promoção da inovação; e a visão do sistema operativo como uma plataforma para os criadores de plataformas. Os três pilares são representados por uma série de novas funcionalidades que virão de forma nativa para o Windows 11, incluindo aplicações Android, redesenhada Windows Store e integração de widgets e apps.

“Hoje o mundo precisa de uma plataforma mais aberta. Uma que permite que as aplicações se tornem as suas próprias plataformas. O Windows é a plataforma na qual podem nascer coisas maiores do que o Windows, como a web. Esta é a nossa aspiração com o Windows 11, para sermos a plataforma para a próxima web, a próxima categoria de software transformador, o próximo negócio de conteúdo personalizado”, disse Nadella.

Interface renovada e melhorias de performance

Uma das principais mudanças trazidas pelo Windows 11 está no botão “Iniciar”. Tradicionalmente localizado na parte inferior esquerda da barra de tarefas, o botão passa a ficar centralizado. O menu inicial também deixa de lado o visual dos “Tiles”, originalmente introduzidos no Windows 8. O novo visual parece tirar inspiração de sistemas operativos móveis, organizando notificações em cartões dedicados as diferentes aplicações.

Em termos de design, os ângulos retos foram substituídos por acabamentos arredondados e suaves. Há ainda um foco grande nos ecrãs transparentes e de fácil visualização. “A equipa ficou obcecada por cada pixel. Como a forma como a luz se move pelos ícones, as transparências que te guiam. As cores, as texturas, elas parecem reais. As transições são lindas e pode sentir a elegância”, disse Panos Panay, da Microsoft.

Um dos novos recursos anunciados é a interface de “Snaps”, função que permite aos utilizadores organizar diversas aplicações em janelas mais simples. O recurso visa facilitar, por exemplo, o uso de aplicações através de múltiplos monitores, como um notebook conectado a um monitor.

Outra novidade fica por conta dos widgets do Windows 11, aplicações adaptadas ao utilizadores através do uso de inteligência artificial e que permitem rápido acesso a informações relevantes. Entre os widgets nativos estão informações sobre o tempo, mapas e um feed de notícias. Novos gestos e comandos de toque também estarão disponíveis para uso do sistema operativo em tablets.

De acordo com a empresa, o sistema otimiza também a performance de máquinas. As atualizações do Windows estão 40% menores e acontecem de forma mais rápida, em segundo plano. Inicializar o sistema operativo também será uma tarefa mais rápida, assim como a navegação pela internet – através do Microsoft Edge ou de navegadores concorrentes.

Integração com Teams

O Microsoft Teams passa a ter mais protagonismo dentro do Windows 11. Na nova versão do sistema operativo, a aplicação de comunicação e colaboração estará integrada diretamente na barra de tarefas e permitirá fácil acesso à lista de contatos.

Puxado pela procura por produtividade remota, o Microsoft Teams conta hoje com mais de 145 milhões de utilizadores ativos diários.

Nova Loja do Windows e integração com apps Android

A visão da Microsoft de tornar o Windows 11 uma plataforma mais aberta para criadores e consumidores reflete-se em duas novidades do sistema: uma nova loja de aplicações e a integração de apps Android.

A Microsoft Store foi reprojetada e oferecerá suporte a uma série de aplicações que não estavam disponíveis na versão anterior da loja do Windows, como a Adobe Creative Suite. Os developers poderão usar os seus próprios “motores de comércio” e sistemas de pagamento na loja. Segundo a Microsoft, não haverá nenhuma cobrança de taxas por cima das receitas de vendas realizadas.

Aplicações Android, por sua vez, rodarão no Windows 11 de forma nativa e também poderão ser baixadas a partir da loja prórpia do sistema operativo. A entrega será feita através da loja de aplicações da Amazon, que está disponível no Android. A tecnologia que habilita a integração é a Intel Bridge.

Assim como qualquer outro programa instalado em máquinas Windows, as apps Android podem ser fixados na barra da tarefas ou conectados a outros apps do Windows através da função “Snap”.

Data de lançamento

A Microsoft ainda não divulgou a data de lançamento do Windows 11. Quando lançado, no entanto, o sistema operativo será uma atualização gratuita para os utilizadores do Windows 10.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado