Empresa imobiliária ibérica vai construir e gerir data center em Portugal

A empresa planeia construir quatro centros de dados neutros em carbono em Espanha e em Portugal, em colaboração com a especialista em infraestrutura de tecnologia Edged Energy.

Diversificar seu negócio imobiliário, afetado pela crise do coronavírus, e atender empresas intensivas em dados, como a gigante de conteúdo Netflix, são os fatores que levaram à Merlin Properties, uma das principais empresas imobiliárias listadas na bolsa espanhola, até agora focado no mercado de escritório, retalho e logística, para se lançar no mercado de data center .

Conforme relata a Reuters, a empresa planeia construir quatro centros de dados neutros em carbono em Espanha e em Portugal, em colaboração com a especialista em infraestrutura de tecnologia Edged Energy (uma subsidiária da empresa de tecnologias renováveis ​​Endeavor). Estes centros estarão localizados em três terrenos que a empresa possui em Espanha (em Madrid, Barcelona, ​​Bilbao ) e um em Portugal ( Lisboa ). Estes serão conectados a redes locais de energia renovável e não consumirão água.

Não se pode atender aos mercados 5G espanhol e portugues a partir das zonas de disponibilidade da Holanda ou dos Estados Unidos ”, nas palavras de umdois fundadores da Merlin Properties, David Brush. “Docusign, Dropbox, Salesforce, Netflix – todos os usos do cliente estão a impulsionar a demanda por data centers e o Covid-19 está a acelerar esra necessidade.”

Como o fundador da Edged Energy, Jakob Carnemark, também disse à Reuters, com o advento dos dados móveis 5G ultrarrápidos, a infraestrutura de dados mundial deve ser mais difundida para evitar atrasos graves nas atividades online e consumir menos energia. “ O nosso objetivo é fazer com que os data centers tenham uma melhor gestão da água e da energia e forneçam serviços de resiliência à rede ao adotar fontes de energia mais variáveis”, disse Carnemark.

A empresa também apontou que, à medida que a pandemia acelera a digitalização da atividade e também aumenta a dependência tanto de logística quanto de processamento de dados, cresceu a necessidade de data centers grandes e confiáveis ​​mais próximos dos núcleos das redes de fibra óptica.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado