Crianças consomem mais entretenimento online em confinamento

“Minecraft” e “Donald Trump” lideraram pesquisas das crianças na Internet durante o último período de férias.

Um estudo realizado pela Kaspersky Safe Kids revelou como é o entretenimento online entre as crianças, uma atividade que tem crescido devido à pandemia. Os principais interesses dos mais pequenos estiveram relacionados com conteúdos do YouTube (21%) e videojogos (15%), com destaque para o Minecraft. Já Donald Trump foi a celebridade mais pesquisada pelos mais novos. As medidas restritivas impostas por todo o mundo mostram que este segmento da população está mais conectado do que nunca e, por isso, a Kaspersky oferece várias recomendações aos pais para garantirem uma experiência segura e positiva aos seus filhos nos seus dispositivos. 

A partir de uma análise a pesquisas anónimas realizadas pelos utilizadores da app Kaspersky Safe Kids, de 20 de dezembro de 2020 a 10 de janeiro de 2021, a Kaspersky descobriu de que forma os mais jovens estão a lidar com a falta de atividades fora de casa. Os dados anónimos, voluntariamente disponibilizados pelos próprios utilizadores, integram pesquisas feitas através do Bing, Google, Mail.ru, Yahoo!, Yandex e YouTube, ambas feitas em smartphones e computadores.

Os sites de vídeos e áudio foram aqueles que os mais novos visitaram com maior frequência (40%), o que equivale a uma subida de 2,6% face ao número médio registado entre junho de 2019 e maio de 2020. Mais ainda, as pesquisas mais populares estiveram relacionadas com o YouTube (21%), gaming (15%), sites de tradução (11%), plataformas de comunicação (10%) e música (9%). 

No YouTube, foram os videojogos (37%) os conteúdos mais pesquisados pelas crianças. Em primeiro lugar, surgiram canais de streamers que jogam diferentes jogos (39%) e canais relacionados principalmente com o jogo Minecraft (19%). Além destes, jogos como “Among Us”, “Brawl Stars” e “Gacha Life”, que permitem a criação de vídeo stories, também estiveram entre os conteúdos mais pesquisados nesta plataforma.

A segunda categoria com maior expressão no YouTube (21%) esteve relacionada com bloggers ou canais específicos. Por exemplo, conteúdos “do-it-yourself” (DIY) tornaram-se bastante populares entre os mais novos, principalmente partilhados por canais como 5-Minute Crafts, 123 GO! e Troom Troom, que aparecem a liderar o top 3. 

Para além de artistas e bloggers, as crianças também pesquisaram outras celebridades. O ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump liderou a lista de pesquisas dos mais novos, seguindo-se outras personalidades como a atriz Emma Watson ou Elon Musk.

Durante este período, o Tik Tok também continuou a suscitar o interesse dos mais pequenos, tendo registado 800 milhões de utilizadores ativos por mês em mais de 150 países. Entre as pesquisas nesta rede surgem temas como “TikTok mashup” ou “como alterar o modo restrito no TikTok”, bem como contas de TikTokers específicos. 

Num mundo como o de hoje, em que as crianças estão permanentemente em contacto com a tecnologia, torna-se normal que os pais mostrem interesse em conhecer e analisar os riscos que os seus filhos enfrentam enquanto navegam no seu smartphone, uma vez que também se têm convertido num dos objetivos preferidos dos cibercriminosos. Desta forma, a Kaspersky oferece um conjunto de conselhos para ajudar os pais a tornar a experiência online dos seus filhos segura e positiva, ajudando também a configurar o seu telemóvel de forma a que não corram riscos:

  1. Gestão da conta segundo as normas do país

A idade legal para criar uma conta num sistema operativo móvel varia, mesmo que para alguns países europeus seja a partir dos 14 anos. A opção para os menores de idade é criar uma conta vinculada às contas dos seus pais. Desta forma, não se encontram a violar os términos do serviço e mantêm o controlo da conta, ao mesmo tempo que os mais pequenos podem aceder a todos os serviços permitidos. Por razões de segurança, os pais também poderão receber notificações de segurança quando alguém entra na conta a partir de um dispositivo desconhecido ou tenta recuperar a palavra-passe.

1. Criação de um grupo familiar

Ao criar uma conta familiar, é possível gerir as compras dos seus filhos e partilhar jogos, livros e programas de televisão. O conteúdo mantém-se assim diversificado e adaptado aos interesses das crianças, mas, ao mesmo tempo, é possível prevenir/bloquear conteúdo explícito e apps inapropriadas. A utilização fica alinhada com as restrições de idade para jogos e vídeos, mediante o controlo parental.

2. Controlar a utilização da Internet

“Um grande poder exige uma grande responsabilidade” – por isso, há que aprender a fazer um uso responsável dos recursos. Deste modo, as liberdades e ferramentas que a Internet proporciona também têm os seus malefícios. De qualquer modo, é possível mitigar estes riscos, através do uso de limitações e bloqueios apropriados.

3. Proteção dos smartphones contra problemas de segurança

Um maior controlo e um comportamento adequado são sempre boas medidas a adotar, mas não devemos deixar de utilizar um software robusto de segurança, juntamente com a instalação de uma aplicação de controlo parental. Uma solução versátil de controlo parental não só ajuda a controlar o telefone e a atividade no computador de uma criança, como também protege contra vários riscos de segurança e ciberameaças.

4. Assegurar proteção no mundo real

É importante manter as crianças no mundo real e garantir que não passam a maioria do seu tempo online. E quando as crianças estão fora de casa, é possível saber onde estão, através de uma solução de controlo parental. Um localizador GPS permite encontrar a localização dos mais pequenos num mapa online, em tempo real. Funcionalidades como a localização de zonas seguras e notificações, juntamente com alertas de bateria baixa, podem proporcionar uma segurança adicional.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado