Capgemini torna-se membro da iniciativa do World Economic Forum no combate racismo

Apoiar a diversidade e incentivar a inclusão de várias identidades culturais, origens étnicas e sociais são componentes essenciais da identidade e da cultura corporativa do Grupo Capgemini.

A Capgemini aderiu à “Partnering for Racial Justice in Business initiativelançada pelo World Economic Forum.

“Partnering for Racial Justice in Business initiative” foi concebida para operacionalizar e coordenar esforços para erradicar o racismo no local de trabalho, e para estabelecer novas normas para a igualdade racial nas empresas em todo o mundo.

Também fornece uma plataforma que permite que as empresas trabalhem de forma conjunta em prol da criação de políticas inclusivas e que facilitem e acelerem a inclusão.

Apoiar a diversidade e incentivar a inclusão de várias identidades culturais, origens étnicas e sociais são componentes essenciais da identidade e da cultura corporativa do Grupo Capgemini, que possui 265.000 colaboradores a operarem em cerca de 50 países em todo o mundo. Os compromissos assumidos pela Capgemini visam expandir as oportunidades para todas as comunidades, em todas as geografias em que o Grupo opera, capacitando-as para erradicarem o racismo no seu ambiente profissional e, assim, contribuir para a formação da próxima geração de líderes cujas identidades raciais e étnicas estejam sub-representadas nos seus sectores de atividade.

Aiman Ezzat, Chief Executive Officer do Grupo Capgemini refere a este propósito: “Na Capgemini, a construção de um futuro inclusivo e sustentável para todos está no topo das nossas prioridades. A diversidade e a igualdade são um alicerce de que não abrimos mão nem no local de trabalho, nem no seio de todas as comunidades com as quais interagimos. Como líder global, reconhecemos que temos os meios e a plataforma necessários para tomarmos medidas relevantes na luta pela justiça racial em todo o mundo e que é nossa responsabilidade fazê-lo.É com a convicção de que somos mais fortes juntos na defesa da justiça racial no meio empresarial, que a Capgemini se orgulha de ser um membro fundador desta iniciativa.”

“Se tivermos em conta que apenas 1% das empresas da Fortune 500 são geridas por CEO de raça negra, percebemos o quão urgente é combater a sub-representação racial no mundo profissional. Visando construir locais de trabalho racial e etnicamente justos, as empresas devem combater o racismo de forma sistemática, tendo em conta não apenas os mecanismos estruturais e sociais das suas próprias organizações, mas também o papel que desempenham nas suas comunidades e na economia em geral,” defende Saadia Zahidi, Managing Director do World Economic Forum.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado