O confinamento dá cabo das baterias

No momento em que é declarado estado de emergência em Portugal a vida dos portugueses muda e o mercado de reparação de equipamentos de telecomunicações, nomeadamente telemóveis, também nota algumas mudanças. De que necessitam mais os portugueses, quando procuram serviços de reparação dos seus equipamentos de telecomunicações, durante os confinamentos?

No início do ano passado, as previsões para o mercado dos smartphones eram otimistas, pois face à chegada de dispositivos 5G, esperava-se que muitos consumidores quisessem adquirir novos equipamentos. Contudo, o surto de COVID-19 veio impedir o crescimento deste setor, que desde 2015 tem vindo a sentir quebras nas vendas. Quem já tem um smartphone recente, ou um topo de gama, não procura neste período trocar de equipamento. Porém, a pandemia veio provocar uma utilização acrescida dos telemóveis e o uso em permanência traz consigo um problema corrente: as baterias viciadas.

Todas as baterias recarregáveis são consumíveis e com um tempo de vida útil limitado. Ora, as videochamadas são, nos dias de hoje, a solução para quem está confinado, ou em teletrabalho. 

Há quem esteja em chamada telefónica, ou videochamada, ao longo das 8 horas diárias do teletrabalho, pois essa é a solução para manutenção do contacto entre as equipas. Esta utilização por longas horas diárias causa um enorme desafio às baterias e os problemas de bateria poderão influenciar o desempenho global dos dispositivos. As quebras de ecrã e outros acidentes comuns, tais como danos de água, continuam a acontecer, mas a avaria das baterias tem sido uma das causas mais expostas por quem procura os serviços de reparação de equipamentos, nesta quarentena.

[ Para preservar a segurança dos Clientes e Colaboradores relativamente ao COVID-19: a iServices disponibiliza gratuitamente o Serviço de Recolha e Entrega ao Domicílio. ]

A longevidade e a alta velocidade de carregamento da bateria do iPhone, por exemplo, só é possível devido à tecnologia de iões de lítio. Ainda assim, este componente tem um tempo de vida útil limitado, sendo por vezes necessário proceder à sua substituição.

Quando a bateria atinge o limite, é aconselhável a sua troca, para preservar o próprio telemóvel. A questão que se coloca é: quando se deve proceder à substituição da bateria?

  • Quando o equipamento não liga
  • Quando existe lentidão no funcionamento
  • Quando o dispositivo encerra ou reinicia inesperadamente
  • Quando o dispositivo móvel descarrega demasiado rápido
  • Quando o arranque do equipamento não é executado
  • Quando o equipamento se desliga ou reinicia de forma inesperada e recorrente
  • Apps e menus sem resposta
  • Bateria com uma forma anormal (“inchada”)

Se o seu smartphone começa a estar demasiado lento ou sem resposta, quando existem aplicações que não respondem, ou o próprio sistema está sem resposta, estes problemas também podem indiciar uma bateria que começa a estar viciada ou mesmo avariada. E claro que, um sinal indubitável da necessidade de troca é notar a bateria inchada.

Se notar alguns destes sintomas no smartphone, não hesite em proceder à troca de bateria pois essa reparação simples irá prolongar a vida útil do aparelho. Na iServices conta com técnicos especializados que substituem a bateria na hora, com garantia.