O mercado Inteligência Artificial valerá de 52 mil milhões de dólares em 2024

A Globaldata prevê que o mercado de plataformas de IA atingirá 52 mil milhões de dólares em 2024, contra 29 mil milhões de dólares em 2019.

O impacto do covid determina um 2021 eminentemente digital. É o que esperam todas as empresas de análise, inclusive a equipa da Globaldata , que acaba de lançar suas projeções para o ano em inicio. “Embora a vida comece a assemelhar-se ao seu estado pré-pandêmico normal no terceiro trimestre de 2021, a vida após a pandemia não será a mesma. A digitalização continuará a acelerar e a flexibilidade será fundamental para as empresas que sobreviverem”, diz o analista Cyrus Mewawalla.

A consultora, destaca especialmente o boom que está a ter a adoção de inteligência artificial, impulsionada também pela atual pandemia. Especificamente, a Globaldata prevê que o mercado de plataformas de IA atingirá 52 mil milhões de dólares em 2024, contra 29 mil milhões de dólares em 2019. “Com mais interrupções esperadas em 2021, a importância da IA ​​no local de trabalho aumentará ” afirmam.

Rumo a um futuro digital e flexível

O futuro do trabalho também está no topo das tendências da Globaldata. Dizem seus analistas, que será digital e flexível . O que está a ser impulsionado pelo COVID-19 é aceleração do uso de automação e teletrabalho para empresas que podem adotar esta cultura híbrida de trabalho em casa. “As ocupações manuais e de rotina que requerem trabalho pessoal já sofreram um declínio acentuado nas décadas anteriores a 2020 e isto continuará em 2021”, preveem os especialistas da Globaldata.

Um 5G que não descola e um regulamento que definirá uma nova forma de entender a privacidade

Curiosamente, outras tecnologias há muito aguardadas, como 5G, não atingirão todo o seu potencial em 2021 . Parece que os “social média” irão prosperar, apesar da regulamentação, e que a autorregulação da desinformação não será suficiente para apaziguar os reguladores.

A empresa de análise dedica algumas linhas de suas previsões à regulamentação com precisão. Lembrando que, em 2021, os reguladores irão atrás das “Big Tech” em três áreas principais: “antitruste”, desinformação e privacidade de dados. “As diretrizes “antitruste” chinesas, sem precedentes, desarmam o escrutínio global que está a ser feito das grandes tecnológicas”, acrescentam ainda os especialistas, que embora os reguladores e governos não concordem sobre como gerir a desinformação “nunca houve um consenso mais amplo de que algo precisa ser feito ”. 

Nesse sentido, acrescenta, em 2021 uma nova regulamentação sobre privacidade de dados afetará grandes empresas de tecnologia , com a imposição de novas multas sob o GDPR na Europa e o desejo do novo governo Biden de promover uma lei federal sobre privacidade de dados no Estados Unidos.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado