Huawei e a indústria europeia: parceiros naturais

Juntos podemos dar resposta aos desafios de uma nova ordem emergente.

Sophie Batas, Director for Cybersecurity, Huawei Europe

À medida que o turbulento ano de 2020 chega ao fim, torna-se claro o facto de os últimos meses terem sido meses extraordinários para todos nós. Mesmo que estejamos a começar a ver o fim do túnel com vacinações em massa para breve em todo o mundo, a pandemia continua a exercer um enorme impacto nas nossas vidas do quotidiano.

Na Huawei, encerramos este ano desafiante com um anúncio que tem um significado especial para mim: a primeira fábrica da Huawei fora da China localizar-se-á em Brumath, perto de Estrasburgo e Baden-Baden. Aqui, na região fronteiriça franco-alemã, bem no coração da Europa, a Huawei passa a criar centenas de empregos de qualidade. A França é o país onde nasci. É gratificante trabalhar para uma empresa que cumpre as suas obrigações locais – obrigações como, por exemplo, pagar impostos no país em que opera. Como europeu convicto, a decisão da Huawei de investir estrategicamente em França – e, simbolicamente, num local a apenas alguns quilómetros da sede do Parlamento Europeu em Estrasburgo – é a coisa certa a fazer.

Nos aniversários da Declaração de Schuman, é frequente pensarmos no legado dos pais fundadores do projeto europeu. Mas esse nobre legado só pode ser preservado se continuarmos a preencher esses ideais com vida. Estas não devem ser apenas meras palavras, proferidas friamente a um público que não ouve. Em vez disso, devem ser importantes todos os dias, de formas tangíveis e economicamente viáveis.

Não foi por acaso que a Huawei escolheu um local no coração da Europa para a sua primeira fábrica fora da China. Como empresa de TIC ambiciosa, a Huawei opera na vanguarda das tecnologias de comunicação. Para continuar a definir tendências e padrões, a Huawei investe 20 biliões de euros em investigação e desenvolvimento interno todos os anos. A UE posiciona, agora, a Huawei entre as três maiores empresas inovadoras a nível mundial, em conjunto com os nossos pares a nível de tecnologia, a Google e a Microsoft.

A Europa é um fator-chave para a Huawei na nossa missão de continuar a moldar a Quarta Revolução Industrial e todos os benefícios fascinantes que esta transformação nos oferece como humanos aqui na Europa e em todo o mundo.

Então, poder-se-á perguntar, por que é que a Europa é tão importante para a Huawei? Bem, se há um bloco que está a definir os padrões de TIC adequados a todo o mundo, pensamos que é a União Europeia. O RGPD veio revolucionar a proteção de dados muito além das fronteiras da UE. Está, rapidamente, a tornar-se o padrão mundial neste campo. De forma similar, a União Europeia está agora a dar passos decisivos para regular os mercados digitais.

A Huawei é uma empresa de TIC verdadeiramente global. A nossa sede pode estar localizada em Shenzhen, uma metrópole de alta tecnologia, jovem, moderna e progressista com um clima subtropical, mas os nossos horizontes vão além da China. Na Huawei, sabemos que a China pode ser o nosso mercado mais importante em termos de volume absoluto. No entanto, a Europa é o nosso mercado mais importante quando se trata de padrões mundiais.

É por isso que, no contexto da Lei de Mercados Digitais, a Huawei apoia a abordagem da Comissão Europeia a nível de uma liderança baseada em princípios para garantir a contestabilidade e a concorrência justa nos mercados digitais. Este é um passo ousado para proteger os cidadãos de modelos de negócios predatórios cujo fim é aprisionar os cidadãos e as pequenas empresas, copiar ou esmagar a concorrência, ao mesmo tempo que prejudica a democracia europeia e o nosso tecido social neste processo.

A Huawei partilha do mesmo objetivo – servir os cidadãos europeus. Queremos fazê-lo fornecendo tecnologias digitais importantes, como é o caso da 5G, bem como novas tecnologias, tais como 6G e a “internet of things”, com base em padrões de confiança, segurança e privacidade líderes na indústria.

À medida que vamos deixando a pandemia para trás, a Europa, proximamente, terá de enfrentar o exigente desafio de superar as consequências económicas da atual desaceleração. Mais do que nunca, manter o modo de vida europeu significará reformar e adaptar-se às novas tecnologias e à digitalização. A Europa deve continuar a ser o melhor lugar no planeta. Como fornecedora de tecnologia de ponta e empresa responsável que cumpre os mais elevados padrões de segurança cibernética, a Huawei é a parceira natural das empresas líderes e emergentes da Europa. Para hoje e amanhã.

Por Sophie Batas, Director for Cybersecurity, Huawei Europe.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado