A Oracle disponibiliza nova versão da Database 21c

Mais de 200 novas inovações garantem um motor da base de dados convergente ainda mais avançado.

A Oracle Database 21c contém mais de 200 inovações, incluindo tabelas de blockchain imutáveis, JavaScript in-Database, tipo de dados binários nativos JSON, AutoML para Machine Learning na base de dados (ML), e armazenamento de memória persistente, e introduz melhorias significativas nas funcionalidades in-memory, no desempenho do processamento de gráficos, na fragmentação, no multitenant e na segurança. Ao contrário das bases de dados únicas disponibilizadas por outros fornecedores na cloud ou nos ambientes on-premisse, a Oracle Database 21c fornece suporte para os requisitos multi-model, multi-workload e multitenant – tudo a partir de um único motor de base de dados convergente e moderno. 

A Oracle anunciou também a disponibilidade do Oracle APEX (Application Express) Application Development, um novo serviço low-code que permite desenvolver e implementar aplicações empresariais baseadas em dados de forma rápida e fácil. Este novo serviço cloud low-code, apoiado no programa de navegação, permite que os programadores criem aplicações web modernas para dispositivos móveis e desktop, através de um interface gráfico intuitivo.

“A Oracle Database 21c é mais um passo na nossa estratégia de disponibilização no mercado do motor de base de dados convergente mais poderoso do mundo”, afirma Andrew Mendelsohn, executive vice president, database server technologies da Oracle. “Através suporte de memória persistente ® Intel™® Optane ela disponibiliza níveis de desempenho de processamento de documentos JSON únicos no mercado e garante o desempenho operacional inovador na base de dados. A Oracle Database 21c oferece funcionalidades analíticas líderes de mercado com a nova Self-Managing In-Memory Column Store, níveis acrescidos de processamento dos gráficos e AutoML para facilitar o desenvolvimento dos modelos de machine learning. Disponibiliza também a Immutable Blockchain Tables para tabelas SQL invioláveis. Os outros fornecedores que são nossos concorrentes, precisam de bases de dados e de serviços JSON, operacionais, analíticos, gráficos, ML e blockchain separados para suportarem estas funcionalidades. A abordagem convergente da Oracle dota os programadores com recursos que lhes permitem ser muito mais produtivos na criação e desenvolvimento de novas aplicações, e facilita o processo de evolução das aplicações capacitando-as para responderem às novas exigências dos negócios.”

O que dizem os analistas da Oracle Database

“Com o lançamento da Database 21c, a Oracle eleva a sua base de dados a um novo patamar de convergência com um amplo nível de suporte que abrange uma vasta gama de tipos de dados e de cargas de trabalho”, afirma Carl Olofson, Research Vice President, Data Management Software da IDC. “As novas 200 inovações que incluem as Immutable Blockchain Tables e o AutoML para machine learning in-database, posicionam a Oracle Database 21c num novo nível de funcionalidade, eliminando a necessidade de ferramentas e serviços cloud especializados e isolados para realizar estas tarefas. Os utilizadores podem evitar o aumento dos custos e da complexidade operacional inerentes a cada serviço cloud adicional que precisem de usar. A Oracle está efetivamente a reduzir este conjunto de serviços desconexos com uma abordagem simplificada, integrada e tecnicamente mais elegante, muito mais adequada às necessidades das empresas em 2021.” 

“A mais recente base de dados convergente da Oracle, a Database 21c, visa facilitar a vida tanto aos utilizadores como aos programadores. Apoia e integra uma gama alargada de modelos de dados e de cargas de trabalho, e inclui machine learning para eliminar a necessidade de ferramentas e serviços independentes, permitindo que as empresas executem as inferências diretamente na base de dados, em conjunto com os seus dados. Esta é uma diferença fundamental para as empresas que utilizam a AWS, que tem mais de uma dezena de bases de dados diferentes – cada qual exigindo que os clientes lidem com diferentes APIs, com várias abordagens ETL e múltiplos processos de integração de dados. A Oracle Database 21c transcende as barreiras de uma abordagem múltipla, isolada e intrinsecamente não convergente às bases de dados”, refere Mark Peters, Principal Analyst & Practice Director da ESG.

O que dizem os clientes da Oracle Database

Com sede em Londres, a Aon é uma empresa multinacional de serviços profissionais que fatura 46 mil milhões de dólares e que oferece uma vasta gama de soluções de risco, de reforma e saúde. “Nunca fomos capazes de ver todos os nossos dados de marketing e vendas Oracle num único sistema unificado. Este lançamento é um verdadeiro marco. Com a Oracle Autonomous Data Warehouse e a Oracle Analytics Cloud, registámos um aumento dos níveis de desempenho de mais 50x ou 60x. Isto acelerou consideravelmente os tempos de resposta às consultas complexas sobre as vendas para 500 utilizadores avançados e reduziu significativamente os custos de análise, tornando-os muito inferiores aos das nossas ferramentas de business inteligence on-premises”, adianta Liesbeth Mulder, Global Reporting Lead da Aon.

A Angelini Pharma é uma das maiores empresas farmacêuticas de Itália. “A solução Quinaryo XRing tem sido uma importante evolução na nossa estratégia de IoT para experimentarmos um dispositivo wearable integrado com uma ferramenta de segurança de dados baseada na blockchain table solution”, refere Pietro Berretoni, Digital & Innovation Head da Angelini Pharma. “Com a Oracle Blockchain Table, a solução oferece registos invioláveis que podem ser facilmente integrados com outras aplicações sem necessitarem de uma infraestrutura nova e complexa. A Oracle Database inclui todas as ferramentas que já conhecemos e novas funcionalidades, como as Oracle Blockchain Tables, que podemos aproveitar com o XRing para recolha de dados sensíveis.”

Inovações na Oracle Database 21c

A Oracle Database21c é o motor de base de dados que alimenta os serviços da Oracle Database quer em ambientes cloud, quer em ambientes on-premisse. Inclui o Oracle Autonomous Database Service, o Oracle Exadata Database Service, o Oracle Exadata Database [email protected] e a Oracle Exadata Database Machine. A nova versão contém mais de 200 novas inovações, que ampliam a convergência da base de dados a novos casos de uso, otimizam o seu desempenho e melhoram a produtividade dos programadores, dos analistas e dos cientistas de dados. As principais inovações incluem:

  • Immutable Blockchain Tables: As Tabelas Blockchain introduzem os principais benefícios de segurança da tecnologia blockchain nas aplicações empresariais. Parte da Gestão de Dados Crypto-Secure da Oracle, as blockchain tables fornecem immutable insert-only tables cujas linhas estão criptograficamente encadeadas. Ao terem as funcionalidades de deteção e prevenção de falsificação diretamente na Oracle Database, os clientes podem proteger-se contra alterações indesejadas que tenham sido feitas por alguém não autorizado na sua organização ou por hackers que se façam passar por administradores ou utilizadores. As Blockchain Tables são parte da base de dados convergente, a que se pode aceder através de SQL, e suportam análises e transações completas – tornando-as mais fáceis de usar, e mais funcionais do que as implementações de blockchain existentes. As Blockchain Tables são uma funcionalidade gratuita em todas as versões da Oracle Database. 
  • Native JSON Data Type: Durante muito anos a Oracle forneceu um suporte de indexação e consultas SQL / JSON muito robusto. A Database 21c adiciona uma nova representação do tipo de dados JSON que permite digitalizar até 10x e atualizar operações até 4x mais rapidamente. Globalmente, estas melhorias tornam a Oracle SQL/JSON 2x mais rápida do que a MongoDB e do que a AWS DocumentDB no benchmark YCSB. Tal como aconteceu com as versões anteriores, os utilizadores podem ligar ou adicionar o JSON e outros tipos de dados; podem indexar qualquer elemento JSON para obterem um OLTP mais rapidamente; utilizar análises paralelas declarativas SQL em todos os formatos; e executar ligações complexas em vários documentos JSON e coleções – tudo sem terem de utilizar códigos aplicacionais customizados. 
  • AutoML for In-Database Machine Learning: cria e compara automaticamente os modelos de Machine Learning em larga escala e facilita a utilização destas ferramentas por utilizadores que não sejam especialistas nestas matérias. Graças a um novo interface de utilizador AutoML mesmo os utilizadores que não tenham experiência podem acelerar a ML na base de dados. A Oracle também adicionou à sua extensa biblioteca de populares algoritmos de in-database machine learning novos algoritmos que permitem detetar anomalias, proceder à regressão e à análise da aprendizagem profunda.
  • JavaScript In-Database: capacita os programadores com os recursos necessários para trabalharem linguagens de programação modernas de forma mais eficiente. O motor Graal Multilingual embebido permite que o código de processamento de dados JavaScript seja executado dentro da base de dados, onde residem os dados, eliminando viagens de ida e volta na rede que são dispendiosas. Além disso, os utilizadores podem facilmente executar o SQL a partir do código JavaScript, e os tipos de dados JavaScript são automaticamente mapeados nos dados da Oracle Database. 
  • Persistent Memory Support: armazena dados e refaz os registos na memória persistente local (PMEM), melhorando significativamente o desempenho das cargas de trabalho ligadas à I/O. O SQL funciona diretamente com os dados armazenados no sistema de ficheiros da memória persistente, mapeando-os diretamente, eliminando o percurso do código de E/S e a necessidade de uma grande cache tampão. Além disso, os novos algoritmos da base de dados impedem o armazenamento parcial ou inconsistente na memória persistente. 
  • Modelos de gráficos com desempenho acrescido: garante a modelação dos dados com base nos relacionamentos e a exploração das conexões e dos padrões nas redes sociais, IoT, etc. As melhorias adicionais introduzidas na otimização da memória reduzem a quantidade de memória necessária para analisar gráficos maiores, permitindo que as aplicações existentes sejam executadas mais rapidamente e sem alterações. Além disso, os utilizadores podem criar ou aumentar os algoritmos gráficos recorrendo à sintaxe java, sendo que estes podem ser executados como nativos, uma vez que são compilados com as mesmas otimizações.
  • Automatização da Database In-Memory: A Oracle suporta formatos em linha e colunas na mesma tabela para permitir que as análises e as transações decorram em simultâneo. A Oracle Database 21c introduz a Self-Managing In-Memory Column Store que simplifica e melhora os níveis de eficiência ao permitir a gestão, a localização e a eliminação automáticas dos objetos na In-Memory Column Store; a seguir rastreia os padrões de utilização, movendo e removendo os objetos das colunas de armazenamento. Além disso, as colunas são automaticamente comprimidas consoante os padrões de utilização. Para acelerar as pesquisas e facilitar as consultas mais complexas, a Oracle Database 21c dispõe de novos algoritmos de ligação de vetores na memória. 
  • Fragmentação Automática: A fragmentação nativa da base de dados oferece níveis de desempenho e de disponibilidade de larga escala, permitindo também que as empresas multinacionais possam observar todas as regras de soberania e privacidade dos dados dos países onde operam. Os fragmentos dos dados não partilham hardware ou software e podem estar alojados quer nos ambientes on-premisse, quer na cloud. Para simplificar o design e a utilização da fragmentação, a Oracle Database 21c inclui uma ferramenta denominada Sharding Advisor que avalia os esquemas da base de dados e as suas características de carga de trabalho e, em seguida, fornece um design de base de dados fragmentado e otimizado para obter níveis de desempenho, escalabilidade e disponibilidade mais elevados. O backup e a recuperação entre os fragmentos também são automatizadas.

Tags


Deixe um comentário

O seu email não será publicado