“As empresas irão continuar a sua transformação digital, através da adoção de modelos de negócio mais flexíveis e ágeis”

O “annus horribilis” de 2020, já lá vai, deixando a esperança ao fundo do túnel. Claramente marcado pelos efeitos da pandemia, o exercício deste ano empresarial caracterizou-se pela entrada em cena de uma nova forma de operar por parte de empresas e instituições, que se viram obrigadas a dar o último salto para o mundo digital. Luís Pires, Country Manager da Tech Data Portugal, falou com o Computerworld sobre o ano que encerrou, mas essencialmente analisou o que nos reserva 2021.

Por João Miguel Mesquita

Luís Pires, Country Manager da Tech Data Portugal

Em termos de negócio, que balanço faz de 2020? De que forma a pandemia influenciou o negócio da Tech Data e quais as consequências?

A pandemia provocou uma forte aceleração na adoção de tecnologia, quer por parte do consumidor final, quer por parte do sector empresarial. Nunca se falou tanto em conceitos como transformação digital, mobilidade digital, teletrabalho como este ano. Sendo a Tech Data o distribuidor líder em Portugal, esta forte procura acabou por se refletir nos nossos resultados de forma bastante positiva. O nosso portfolio end-to-end de produtos, serviços e soluções foi decisivo na resposta às necessidades das empresas para se adaptarem à nova realidade provocada pela pandemia.

Quanto vale o negócio da Tech Data em Portugal e qual a percentagem que representa no negócio global da Tech Data na Europa?

Em termos de resultados, e porque o nosso ano fiscal termina no final deste mês, não nos é possível avançar com números concretos, mas dizer que prevemos um crescimento, consolidando a nossa liderança não só global como em Portugal.

Como referência, a Tech Data Portugal faturou no ano fiscal passado, terminado a 31 de Janeiro de 2020, 423 milhões de euros representando aproximadamente 2% das vendas globais da Tech Data na Europa.

Quais as expectativas para 2021? O negócio vai crescer? Quais as áreas mais relevantes?

Sem dúvida que as empresas irão continuar a sua transformação digital, através da adoção de modelos de negócio mais flexíveis e ágeis. Em tempos em que o ambiente à nossa volta está em constante mudança, é vital que seja este o caminho. Assistiremos a uma maior desmaterialização das coisas, ao “everything as a service”, à Cloud e IoT, ao 5G e ao “data analytics”, à modernização e mobilidade, sempre com o objetivo de proporcionar a melhor experiência ao cliente/consumidor final.

Tendo em conta a necessidade de criação de emprego em Portugal a Tech Data tem previsto contratar em 2021? Com quantos colaboradores fecham em 2020, e quantos pensam ter no final de 2021?

Na Tech Data, promovemos uma procura ativa de novos talentos tanto com a implementação de programas de estágios profissionais, como na presença em feiras de emprego, procurando desta forma responder à evolução do negócio e ao mesmo tempo criando oportunidades de progressão de carreira. Neste momento temos cerca de 143 colaboradores.

Quais as principais dificuldades que encontram, no mercado português, neste momento, no que respeita a abordagem a digitalização das empresas?

A mentalidade. É necessária uma mudança de mentalidade no que diz respeito aos investimentos em tecnologia para que o processo de digitalização das empresas seja uma realidade maior e mais efetiva. Apenas aquelas que ousarem questionar o modelo de negócio tradicional, terão mais capacidade para se adaptar à mudança e exigência dos dias de amanhã.

Que conselhos dão às empresas para ultrapassarem os difíceis momentos que passamos? 

Destacaria principalmente a necessidade de repensar os negócios. Num período desafiante como este, esta pode ser uma oportunidade para tornar os negócios mais flexíveis e ágeis. Além de uma capacidade de resiliência forte, é importante os líderes terem uma visão clara e por vezes disruptiva do modelo de negócio que promova uma tomada de decisão efetiva, de forma, a garantir uma melhor solução de futuro. Da parte da Tech Data, damos ênfase ao nosso papel de trust advisor no aconselhamento da melhor solução para as necessidades das empresas e na sua jornada de transformação digital, e por isso, disponíveis para apoiar os desafios destes novos tempos.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado