Manager vs Líder

Como integrar a liderança na gestão de equipas de sucesso.

Mudar para uma função de chefia não significa necessariamente que a pessoa esteja equipada para liderar. Na verdade, pode representar uma curva de aprendizagem abrupta para novos gestores e chefes de equipa.

Quantos chefes e managers foram promovidos para gerir equipas sem saberem inspirar e liderar? Embora a liderança seja uma qualidade inata para alguns, para a maioria é algo que se tem de aprender e trabalhar diariamente. Muitos managers passam toda a sua carreira a gerir pessoas sem nunca serem reconhecidos como líderes, sabendo apenas fazer micromanagement em vez de desenvolverem equipas motivadas e autónomas.

A Robert Walters, consultora líder em recrutamento e seleção especializada para postos intermédios e diretivos a nível global, acabou de lançar um e-guide para novos managers onde se explica a diferença entre liderança e chefia, e como integrar a primeira na segunda: 

Saiba quando dar um passo atrás

Delegar não é partilhar uma carga de trabalho elevada; pelo contrário, os líderes reconhecem quando devem afastar-se para dar uma oportunidade aos membros da sua equipa de se destacarem. Tal significa permitir que os seus colaboradores implementem a sua própria abordagem e corrijam os seus erros. Obviamente, se os projetos começarem a perder o rumo, como líder precisará de intervir. No entanto, os líderes oferecem apoio sem cair em comportamentos de microgestão, que afetam negativamente a confiança dos colaboradores.

Prepare os outros para o sucesso
Os líderes estão genuinamente comprometidos com o desenvolvimento das suas equipas. Desde incentivar programas de formação, melhoria das qualificações e a especialização dos seus colaboradores, os bons líderes permitem que a equipa determine o curso do seu desenvolvimento profissional e irá incentivá-los a reconhecer e alcançar o seu pleno potencial.

Coaching
Um elemento essencial para assegurar que os outros se destacam é apoiá-los e guiá-los no caminho do sucesso. O coaching anda de mãos dadas com a liderança. Não se trata apenas de dar conselhos, mas de fornecer um espaço aberto para que os outros partilhem os seus problemas, discutam ideias e cheguem às suas próprias conclusões sobre os próximos passos.

Ofereça feedback com honestidade e empatia
Quando se trata de desenvolver a sua equipa, oferecer feedback contínuo e significativo para os seus colaboradores é altamente valioso. Mas nem sempre é fácil, principalmente se precisar de resolver um problema. Acima de tudo, procure manter o seu feedback construtivo em vez de crítico:

  • Seja específico e concentre-se no problema – não assuma que um colaborador possui todo o contexto para perceber por que é que algo pode ser um problema. Procure explicar sempre o “porquê” para garantir que o seu feedback é acionável.
  • Não torne a situação pessoal – concentre-se na situação e não no indivíduo para impedir que o seu colaborador se sinta atacado e/ou na defensiva.
  • Considere o seu tom e linguagem – o ideal é que o feedback seja feito cara-a-cara e de maneira concisa, clara e calma. Se não puder fazer críticas pessoalmente, pegue no telefone em vez de enviar um e-mail e esteja consciente da linguagem que vai usar. De forma crítica, deve evitar o uso de palavras com forte carga emocional, como “dececionado” ou “frustrado”.
  • Abertura para comentários – Sempre que estiver a oferecer feedback, deve dar aos seus colaboradores a oportunidade de partilharem as suas opiniões e, juntos, devem desenvolver etapas concretas para a solução. Isto não apenas demonstra ao seu colaborador que se importa, mas transforma a discussão num plano de ação positivo, em vez de numa “bronca”.
  • Equilibre o positivo e negativo – o feedback deve ser fornecido continuamente e nunca deve concentrar-se inteiramente nos positivos ou negativos. Pode ser tentador suavizar o feedback negativo tecendo elogios. Por exemplo, “Sei que trabalhou muito neste projeto, mas …” Esta abordagem faz com que seu ponto anterior pareça insincero e transmite uma mensagem ambígua. O elogio deve ser dado quando for devido, sendo melhor acompanhado de apreciação. Por exemplo, “O novo processo que implementou melhorou realmente a nossa eficiência como equipa. Muito obrigado pelo seu trabalho. A sua iniciativa realmente acrescentou valor ”.

Convide a crítica construtiva
Além de fornecerem feedback, os líderes também convidam as suas equipas a comentar o seu desempenho. Pode ser difícil, mas o feedback dos colaboradores é valioso para desenvolver o seu estilo de liderança. A melhor maneira de obter feedback construtivo é fazendo perguntas, como:

– Como poderia eu apoiá-lo melhor se fôssemos fazer este projeto novamente?
– Que obstáculos encontrou ao realizar o projeto?
– Como acha que poderíamos contorná-los?
– O que acha que pode correr mal se tentarmos [X]?
– O que considera que fez do projeto [X] um sucesso?

Adote uma abordagem ágil
No mundo de trabalho acelerado em que vivemos, os líderes precisam de se adaptar rapidamente. Adotar uma abordagem flexível ao seu estilo de liderança e comprometerem-se com uma situação de desenvolvimento contínuo irá ajudar a que se sinta mais confortável com as mudanças e a ajustar o seu estilo de liderança para obter o melhor de sua equipa.

Como líder, muitas vezes pode sentir que é da sua responsabilidade ter a resposta certa ou a solução para tudo imediatamente. A realidade é que não é a sua responsabilidade ter todas as respostas, mas sim fornecer os meios para encontrá-las. Se eu pudesse dar um conselho a um novo gestor, seria: aproveite a viagem. Atrasos e eventos não planeados irão sempre surgir ao longo do caminho, mas o privilégio da sua posição é ter o poder de ajudar outras pessoas a aprender como enfrentar esses desafios, para que saiam da experiência mais bem equipados para lidar com o que quer que seja que o futuro possa reservar”, comenta Marco Laveda, Managing Director no Robert Walters Group.

Em conclusão, um líder deve:

  1. Liderar com paixão: se acredita no que faz, os outros também irão achar mais fácil de acreditar.
  2. Apoiar à distância: dê um passo atrás para permitir que os membros da sua equipa brilhem.
  3. Ser empático e demonstrar inteligência emocional: quer esteja a definir uma tarefa ou ou a oferecer feedback, lembre-se de manter o foco nas necessidades das suas equipas.
  4. Incorporar uma cultura positiva: favoreça o ambiente certo para que a sua equipa possa prosperar.
  5. Desenvolver-se continuamente: há sempre mais para aprender; peça feedback e continue a desenvolver a sua abordagem.
  6. Permitir que outros tenham sucesso: consulte, aconselhe e torça!
  7. Não esperar ser o especialista o tempo todo: afinal, não pode fazer tudo – peça a opinião de colegas, amigos e especialistas.



Deixe um comentário

O seu email não será publicado