“Estamos focados e otimistas para 2021 e temos como objetivo chegar aos 20 milhões de euros de volume de negócio”

O “annus horribilis” de 2020 chega ao fim, com a esperança ao fundo do túnel. Claramente marcado pelos efeitos da pandemia, o exercício deste ano empresarial caracterizou-se pela entrada em cena de uma nova forma de operar por parte de empresas e instituições, que se viram obrigadas a dar o último salto para o mundo digital. José Oliveira, CEO da BI4ALL, falou com o Computerworld sobre o ano que encerra, mas essencialmente analisou o que nos reserva 2021.

Por João Miguel Mesquita

 José Oliveira, CEO da BI4ALL

Em termos de negócio, que balanço faz de 2020? De que forma a pandemia influenciou o negócio da BI4ALL e quais as consequências?

2020 afigurava-se um ano promissor, mas revelou-se desafiante e incerto para todos. Apesar do ano atípico, embora não sejam os expectáveis, os resultados da BI4ALL vão ser positivos alcançando um volume de negócio de cerca de 17 milhões de euros, o que é, sem dúvida, um resultado bom nos tempos que vivemos. 

Após declarada pandemia pela OMS, a nível interno adotamos medidas imediatas de monitorização da situação e da sua evolução, de forma diária e próxima com todos os colaboradores. O nosso principal objetivo foi conseguirmos agir e ajustar o planeamento e adaptarmo-nos a toda esta situação e preparar novos cenários. Criámos assim um conjunto de medidas para minimizar esse impacto.

Na nossa área de negócio, e com as ferramentas que temos à disposição, é possível operar de forma remota, sem comprometer a nossa qualidade e atividade junto dos nossos clientes e parceiros, e isso já se revelava com sucesso, antes desta situação, no nosso Centro de Nearshore onde os consultores já trabalhavam desta forma. No Centro de Nearshore as estruturas são montadas em Portugal como se fossem dependências de empresas multinacionais e a gestão de projetos e processos de negócio é feita remotamente. Este modelo traz grandes mais valias para todos os intervenientes da tríade: organização, colaboradores e clientes.  Do ponto de vista do cliente, este modelo permite uma redução de custos, melhorar o tempo de resposta (time-to-market), trabalhar com equipas experientes e com competências de excelência, flexíveis e com capacidades linguísticas e, consequentemente, operar de forma mais eficiente

Nada previa uma pandemia desta natureza, que teve e terá um impacto enorme na economia global, e naturalmente que temos clientes que sentiram uma quebra na sua faturação. 

Em 2020 a BI4ALL ajudou os seus clientes a manterem os seus negócios competitivos e seguimos completamente focados em 2021 com o propósito de oferecer soluções e produtos disruptivos aos nossos clientes que permitam melhorar a sua produtividade e eficiência. Continuamos atentos e disponíveis para ajudar os nossos clientes e parceiros a superar os resultados e minimizar o impacto desta crise. 

Quanto vale o negócio da BI4ALL em Portugal e qual a percentagem que representa no negócio global da BI4ALL na Europa? [Só aplicável a multinacionais]

O mercado internacional tem uma dimensão significativa no volume de negócios da BI4ALL. Em 2019, a operação internacional da BI4ALL representou 56% do volume de negócios total, um crescimento de 3,4 milhões de euros, ou 60%, face a 2018.  De entre estes diferentes mercados, a operação no continente americano cresceu 65% e a Europa 61%. O mercado nacional representou 44% nas contas globais da empresa, e um crescimento absoluto superior a 1 milhão de euros, uma evolução de 17% face ao valor registado em 2018.

Quais as expectativas para 2021? O negócio vai crescer? Quais as áreas mais relevantes?

Estamos focados e otimistas para 2021 e temos como objetivo chegar aos 20 milhões de euros de volume de negócio. Queremos continuar a crescer e a fortalecer a nossa presença no mercado nacional e aumentar a nossa presença no mercado internacional, reforçando o estatuto de empresa líder na área de Data Analytics e Inteligência Artificial. 

Diariamente, a nossa equipa trabalha para entregar um serviço de excelência aos nossos clientes, e é facto que o clima de incerteza que vivemos devido à pandemia do covid-19 impôs às organizações um claro compromisso com o Digital e na implementação de estratégias que as mantenha próximas dos clientes e fornecedores, permitindo-lhes reduzir custos, prever vendas, antecipar cenários, agilizar e otimizar todos os processos para que possam permanecer produtivas, rentáveis e eficientes.

Além disso, a BI4ALL ganhou um novo espaço com a criação da “Cidade BI4ALL”, em Lisboa. Um espaço que reúne todas as condições para nos permitir manter uma posição de liderança como especialista na nossa área de atuação. As novas instalações foram projetadas pensando nas expectativas dos clientes atuais e futuros e para proporcionar aos nossos colaboradores o melhor bem-estar possível. O nosso Centro de Nearshore tem aumentado de ano para ano e está preparado para o crescimento nos mercados internacionais. 

Mais do que nunca, e mesmo neste momento desafiador para a economia, a BI4ALL quer continuar a trabalhar no seu propósito, nos seus pontos fortes e em todas as suas áreas de expertise, tendo sempre como objetivo a apresentação das melhores soluções aos nossos clientes. Permanecemos aqui fortes, unidos e preparados para qualquer desafio e continuaremos assim a apostar fortemente nas áreas de especialização que dominamos e a reforçar as nossas valências nas áreas de Analytics, Big Data, AI e Data Science, CPM e Software Engineering. 

Tendo em conta a necessidade de criação de emprego em Portugal a BI4ALL tem previsto contratar em 2021? Com quantos colaboradores fecham em 2020, e quantos pensam ter no final de 2021? 

Fechamos o ano com 274 colaboradores altamente qualificados e com uma vasta experiência no domínio das tecnologias nas áreas de Data Analytics e Inteligência Artificial. Pretendemos continuar a apostar claramente no nosso talento e numa valorização contínua da equipa com formações e certificações dos nossos colaboradores nas nossas competências, bem como formações de gestão, liderança e soft skills, por exemplo. 

Para 2021, temos planeado atingir os 300 colaboradores, continuando assim a oferecer valor além das expectativas ao fornecer tecnologias poderosas e serviços de excelência que capacitem e inspirem os clientes a transformar dados em insights, consolidando o estatuto de empresa de referência no setor onde atuamos a nível nacional e internacional. 

Temos ainda o Talent Academy, um programa de qualificação e formação para recém-licenciados e profissionais em reconversão de carreira, sendo depois estes Colaboradores inseridos nos vários projetos da BI4ALL. 

As principais áreas de formação dos nossos colaboradores englobam Informática, Informática de Gestão, Matemática e Engenharia.

Quais as principais dificuldades que encontram, no mercado português, neste momento, no que respeita a abordagem a digitalização das empresas?

A situação atual obrigou muitas organizações a terem de repensar e implementar novos modelos de gestão, mais focados no digital e mais ágeis para o negócio. Vários estudos mostram que as organizações com maturidade digital tiveram um melhor desempenho durante a pandemia e esperam uma recuperação mais rápida. Enquanto isso, as empresas que menos tinham apostado na transformação digital estão agora a fazer os investimentos necessários de forma a ganharem competitividade neste cenário desafiante que hoje se apresenta. 

As principais dificuldades sentidas no mercado português, são as mesmas que as sentidas ao nível global, pois derivam do cenário instável e do momento de incerteza que vivemos. Sentimos um aumento no tempo de tomada de decisões no ciclo de venda, contudo, por outro lado sentimos que as decisões da empresa necessitam de ser aceleradas pois para que as organizações possam ganhar em produtividade e eficiência é necessário garantir que existe um bom acesso à informação, de forma segura e transversal aos diversos departamentos, e é aqui que a tecnologia proporciona novas formas de olhar para o negócio, para o mercado e para o consumidor. Como tal, para responder a toda esta instabilidade do mercado da melhor forma, é imprescindível que as organizações consigam ter um rápido e fiável acesso às informações cruciais para tomarem as melhores decisões e, assim, reduzirem tempos de resposta, garantindo uma posição sólida, ativa, competitiva, inovadora e eficiente no mercado. Esta visão a 360 graus da organização permite identificar oportunidades e solucionar problemas mais rapidamente, mas também uma gestão mais ágil e integrada no dia-a-dia da organização.

Que conselhos dão às empresas para ultrapassarem os difíceis momentos que passamos?

As empresas vivem tempos desafiantes, seja qual for o setor de atividade, a incerteza do futuro e os novos modelos de consumo obrigam as organizações a olharem atentamente para os seus modelos de negócio. Mais do que nunca, são necessárias estratégias que permitam às empresas reduzir custos, prever e antecipar cenários, inovar, otimizar e acelerar processos, melhorar a agilidade e a eficiência operacional, aumentar as vendas, bem como conquistar e fidelizar os seus clientes. 

É tempo de as empresas alinharem as suas estratégias, criarem vantagens competitivas e olharem para os seus dados como informações fiáveis que suportem tomadas de decisão conscientes e eficientes.  E é aqui que as soluções de Data Analytics e Inteligência Artificial fazem a diferença pois permitem que as empresas se tornem mais ágeis, inovadoras e eficientes, e tenham uma visão a 360 graus de toda a organização, dos consumidores e do mercado. 

As empresas devem manter-se resilientes, focadas e perseverantes. Com foco no seu propósito e no futuro. Além disso, não se podem esquecer de comunicar continuamente. Numa realidade em que grande parte das equipas ainda trabalha à distância, é necessário manter a comunicação entre todos e criar momentos de partilha e celebração com os colaboradores. 




Deixe um comentário

O seu email não será publicado