Microsoft anuncia vencedores do concurso “Escola do Futuro”

Para assinalar a comemoração dos 30 anos, a Microsoft Portugal tem vindo a realizar várias ações no país. A mais recente – o concurso “Escola do Futuro” – tem como objetivo promover experiências de aprendizagem criativas e colaborativas. Lançado a todas as escolas do país, o concurso recebeu mais de 150 candidaturas de alunos entre o 1º ciclo e o secundário. Foram selecionados quatro projetos vencedores: da Escola Global, em Santa Maria da Feira, da Park International School, em Alfragide, do Instituto Duarte de Lemos, em Águeda, e da Escola Profissional do Instituto Nun’Alvres, em Santo Tirso.

A Microsoft quis desafiar os alunos portugueses a pensar como será o futuro da Educação, convidando-os a apresentarem propostas transformadoras sobre as formas de aprendizagem e formato das escolas do futuro. Numa altura em que a transição digital é a palavra-chave, os alunos vencedores apresentaram projetos nos quais a tecnologia impacta o funcionamento e a modernização das metodologias e dos espaços de ensino.

“Ao celebrar os 30 anos em Portugal, quisemos potenciar a criatividade, a capacidade de abstração, espírito critico e de descoberta, o trabalho em equipa e o uso da tecnologia. Em resposta ao desafio, as escolas fizeram-nos chegar trabalhos que nos permitem sonhar uma Escola que é quase uma Casa, um pequeno mundo e que hoje, em algumas circunstâncias, já existe. Termos recebido tantas candidaturas demonstra a excelente recetividade da iniciativa e a qualidade dos projetos prova-nos que os professores e alunos estão empenhados em melhorar o futuro da Educação, na qual a automação está sempre presente de forma ética e responsável.” Disse, Sandra Martinho, Diretora da área de Educação e Filantropia da Microsoft Portugal, em comunicado de imprensa.

As propostas elaboradas pelos alunos tiveram a colaboração dos professores da escola e a iniciativa destacou quatro projetos vencedores:

“Canal Global” – Escola Global (Santa Maria da Feira)

Na visão dos alunos do 1º ciclo, a “Escola do Futuro” terá robots, mobiliário flexível, aprendizagem socio emocional, sem esquecer o papel essencial que os professores vão continuar a ter na Educação.

“Students from the future” – Park International School (Alfragide)

Os alunos do 2º ciclo consideram que o foco nas salas de aula é a multidisciplinariedade, com espaço para zonas de criatividade, robótica, coworking, laboratórios, espaços de descanso e socialização e ainda reforçam a importância do desporto na “Escola do Futuro”.

“Big Brains” – Instituto Duarte de Lemos (Águeda)

Para os alunos do 3º ciclo, a “Escola do Futuro” é moderna e com uma arquitetura totalmente reinventada. Nas salas de aula, os professores aparecerão em hologramas e haverá dispositivos eletrónicos e quadros interativos. O recreio será um local diferente, onde os alunos terão oportunidade de aproveitar o tempo livre em espaços relaxantes e divertidos.

“BIBM” – Oficina – Escola Profissional do Instituto Nun’Alvres (Santo Tirso)

Os alunos do secundário consideram que a “Escola do Futuro” é digital, inclusiva e sustentável. Para isso, mesas digitais, tablets e smartwatches irão ajudar a organizar os horários; nas salas de aula, as portas terão sistemas que registam as presenças e os quadros digitais poderão gravar o que é dito pelos professores. E irá também ter painéis solares, autocarros elétricos, aulas de defesa e nutrição.

Os quatro projetos vencedores vão receber um total de 60 certificações para professores (Microsoft Office Specialist, Microsoft Certified Educator e Microsoft Fundamentals) e auscultadores sem fios para cada um dos participantes.

O futuro está já a ser construído com novas metodologias de ensino e de aprendizagem com recurso a tecnologia que irá impactar a sociedade e permitir reinventar o futuro da Educação e melhorar as experiências dos professores e alunos.

Veja aqui os projetos vencedores aqui.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado