Kaspersky finaliza transferência do processamento de dados para a Suíça

A relocalização do processamento e armazenamento de dados, anunciada em novembro de 2018, foi totalmente concluída.

A Kaspersky anunciou a conclusão das principais metas da sua Iniciativa de Transparência Global (GTI) com a transferência do armazenamento e processamento de dados e atividades da Rússia para a Suíça, e com a abertura do seu quinto Centro de Transparência na América do Norte. Com o aumento da transparência, a empresa apela a esforços de colaboração para reforçar a segurança e integridade dos produtos de software modernos.

Já passaram três anos desde que a Kaspersky, empresa mundial líder na área de cibersegurança, anunciou a sua Iniciativa de Transparência Global (GTI), que envolvia ser pioneira numa nova abordagem para a indústria de cibersegurança, baseada em maior transparência e responsabilidade. O objetivo era envolver uma comunidade mais ampla de cibersegurança e outros stakeholders na validação e verificação da fiabilidade dos seus produtos, processos internos e operações comerciais. Como tal, a empresa forneceu o código fonte do seu software para revisões independentes, realizou uma série de avaliações de terceiros, incluindo a auditoria SOC2, e obteve a certificação ISO27001 para os seus serviços de dados. A empresa transferiu também a sua infraestrutura de processamento de dados da Rússia para a Suíça e anuncia agora a conclusão bem-sucedida desta transição.

A relocalização do processamento e armazenamento de dados, anunciada em novembro de 2018, foi totalmente concluída

Para além da Europa, dos Estados Unidos e Canadá, a Kaspersky relocalizou também o armazenamento e processamento de dados para vários países da Ásia-Pacífico. A lista de países desta região que integraram os planos de relocalização da Iniciativa de Transparência Global inclui a Austrália, Nova Zelândia, Japão, Bangladesh, Brunei, Camboja, Índia, Indonésia, Coreia do Sul, Laos, Malásia, Nepal, Paquistão, Filipinas, Singapura, Sri Lanka, Tailândia e Vietname.

Os dados de clientes relacionados com ameaças, partilhados por utilizadores destas regiões, são agora processados em dois centros de dados em Zurique, na Suíça, e incluem ficheiros maliciosos suspeitos ou anteriormente desconhecidos que os produtos da empresa enviam para a Kaspersky Security Network (KSN) para uma análise de malware automática. 

Eugene Kaspersky, CEO da Kaspersky, afirma: “Desde que anunciámos a nossa Iniciativa de Transparência Global, que contava com uma série de passos arrojados, incluindo o processamento e a relocalização do armazenamento de dados, a Kaspersky não só reconfirmou o seu compromisso em tornar-se um parceiro de confiança, como antecipou as expectativas do mercado e dos reguladores. Nos três anos que se seguiram após termos anunciado esta iniciativa, assistimos a uma grande transformação das abordagens e regulamentos em matéria de segurança de dados. Vemos que o investimento em confiança e transparência está gradualmente a tornar-se um padrão da indústria e estou orgulhoso da nossa empresa por estar entre os pioneiros em matéria de transparência”.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado