Com digitalização dos negócios a reconversão profissional pode ser uma saída

Com a crescente digitalização dos negócios, todas as empresas precisam de perfis tecnológicos.

O paradigma de transformação tecnológica, que se  intensificou com a pandemia, tem resultado numa procura exponencial por profissionais  especializados. Para corresponder a este contexto de mercado, e tendo presente a realidade de  muitos portugueses que perderam o seu emprego e procuram novas oportunidades, a Ironhack,  escola de formação em tecnologia, abre candidaturas para novas edições dos  seus bootcamps de Web Development e Data Analytics em regime full-time. Ambos têm uma  duração de 9 semanas e arrancam já em janeiro do próximo ano. 

Com a crescente digitalização dos negócios, todas as empresas precisam de perfis tecnológicos,  mesmo que a tecnologia não seja a sua atividade principal. Portugal, que ainda por cima se tem  afirmado como um hub tecnológico de referência a nível europeu, atraindo centros de  desenvolvimento e suporte de grandes multinacionais, verifica uma enorme escassez de talento.  Segundo dados da Randstad deste ano, existe um intervalo entre 14 mil e 19 mil vagas por  preencher no setor tecnológico para as mais diversas funções. 

Paralelamente, como consequência do panorama de crise económica, o desemprego está a  aumentar, sobretudo nos setores mais afetados pelos meses de confinamento e pelas constantes  restrições, como é o caso do turismo e da restauração, mas não só. Para muitas das pessoas  que se viram nesta situação, uma reconversão profissional pode ser o caminho. 

Nesse sentido, a Ironhack assume-se como uma alternativa de reorientação de carreira, abrindo lhes as portas para o mundo da tecnologia, onde a vitalidade do recrutamento se mantém,  principalmente nas profissões de programador (pessoa que cria e desenvolve softwares) e  analista de dados (pessoa que recolhe, organiza e interpreta dados). 

“Sabemos que não se vivem tempos fáceis e queremos ser a solução para as pessoas que  ficaram sem emprego e deram por si a repensar o seu percurso profissional. De facto, o setor  tecnológico está em contracorrente e tem muito para explorar”, sublinha Munique Martins,  responsável pelo campus de Lisboa da Ironhack. “Na Ironhack, acreditamos num ensino  orientado para os resultados e apoiamos os nossos alunos desde que começam a estudar  connosco até entrarem no mercado de trabalho. Para isso, além de adotarmos uma abordagem prática no currículo dos cursos, ajudamo-los a construir um bom CV e portefólio, orientamo-los  na procura de trabalho, colocando-os em contacto com empresas da nossa rede, e aconselhamo los ao longo dos processos de recrutamento”, acrescenta. 

No curso de Web Development, os alunos vão aprender as bases do desenvolvimento web para  conseguirem dar corpo às suas próprias ideias, recorrendo a várias linguagens de código. Já no  curso de Data Analytics, os alunos vão aprender a compilar, avaliar e interpretar dados para fazer  previsões de tendências, mobilizando competências de programação e estatística. Tanto num  curso como no outro, a cada três semanas, os alunos desenvolvem um projeto para testar os  seus conhecimentos. 

As aulas estão a decorrer presencialmente, seguindo um protocolo rigoroso, que está em  conformidade com as recomendações das autoridades de saúde e das entidades  governamentais, para garantir a segurança de todos. 

Os candidatos devem ter mais de 18 anos, um domínio intermédio da língua inglesa e cumprir o  trabalho prévio de preparação. O curso tem um custo de 6.500€ e pode ser pago em  mensalidades até 18 meses ou através da modalidade de Acordo de Rendimento Partilhado, que  dá aos alunos com menos recursos financeiros a possibilidade de pagarem o seu curso apenas  após estarem empregados. Esta iniciativa está a ser promovida em parceria com a Fundação  José Neves. 




Deixe um comentário

O seu email não será publicado