Faber investe 30 milhões de euros em startups ibéricas de “data science”

Sociedade de capital de risco portuguesa lança Faber Tech II para investir em startups que aceleram a transformação digital de empresas, através de machine learning, inteligência artificial e outras tecnologias.

 A Faber concluiu a primeira vaga de financiamento do seu novo fundo de investimento, o Faber Tech II, com um montante inicial de 20,5 milhões de euros. O fundo continuará em processo de fundraising durante o próximo ano, com um objetivo mínimo de 30 milhões de euros.

Este novo fundo assume um posicionamento especializado, ao direcionar os seus investimentos para empresas em fase inicial ( pré-séries A) que operem e liderem áreas como a Inteligência Artificial, Machine Learning ou Big Data, e tenham como principal objectivo a transformação digital de empresas e indústrias a nível global. Em termos geográficos o fundo irá maioritariamente dedicar os seus investimentos a startups que utilizem a Ibéria como plataforma de lançamento para o mercado global, explorando o seu potencial como um dos centros tecnológicos em ascensão da Europa.

A Faber já executou três investimentos, a serem incorporados no Faber Tech II, entre eles uma participação na ronda de financiamento Séries A de 15,6 milhões de euros feita pela SWORD Health – start up portuguesa que criou o primeiro sistema de fisioterapia digital que junta inteligência artificial e equipas clínicas-, a liderança da ronda pre-seed da YData, uma plataforma que ajuda os data scientists a melhorar a qualidade dos dados e a garantir a sua privacidade , e a participação na ronda pre-seed da Emotai, que desenvolveu uma plataforma de análise e melhoria de desempenho para atletas de desportos virtuais, baseada em neurociência.

O fundo irá, durante o próximo ano, continuar a angariar investidores que queiram apostar nesta cada vez mais atrativa classe de ativos e numa abordagem especializada. Além de vários investidores privados (particulares e institucionais), o Faber Tech II tem como investidores “âncora” o Fundo Europeu de Investimento (FEI) – maior investidor institucional Europeu nesta classe de ativos – e a Instituição Financeira de Desenvolvimento (IFD) que, em conjunto, assumiram um compromisso de 15 milhões de euros ao abrigo do Plano Juncker e do programa Portugal Tech.

O fundo será gerido a partir de Lisboa, liderado por uma equipa independente com forte cariz empreendedor e operacional, composta por Alexandre Barbosa, Carlos Silva, Rui Melo de Carvalho e Sofia Santos. Com uma proposta de valor diferenciada, este novo fundo baseia-se na comprovada experiência de investimento da equipa adquirida ao longo dos últimos sete anos, complementada por uma equipa de especialistas com provas dadas na criação e no desenvolvimento de empresas tecnológicas, bem como em investigação em torno de dados e inteligência artificial.

Neste novo contexto, também a Faber está a inovar no modelo de gestão do fundo, assente na experiência e no conhecimento através da equipa e rede de advisors, composta por um conjunto de especialistas, investigadores, data scientists, CTO e fundadores maioritariamente distribuídos entre Portugal, Espanha e EUA, e que dão suporte ao fundo com a sua opinião, aconselhamento e mentoria ativa, num modelo inovador de alinhamento e partilha de conhecimento.

Neste modelo foi criada a figura de ‘Professor-in-residence’, a cargo do prestigiado e internacionalmente  reconhecido professor Mário Figueiredo (do Instituto Superior Técnico), contando ainda com uma equipa de profissionais ligados à academia como Hugo Ferreira (Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa) e Liliana Ferreira (Fraunhofer Institute).




Deixe um comentário

O seu email não será publicado