A Huawei pode vender Honor para aliviar a pressão Americana

As sanções dos EUA contra a Huawei, a segunda maior fabricante de smartphones do mundo (depois da sul-coreana Samsung), têm prejudicado o segmento de negócio da empresa chinesa.

Após sanções dos Estados Unidos e pressão sobre empresas de tecnologia chinesas, a Huawei deverá vender a unidade de smartphones Honor. De acordo com publicação da Reuters, fontes relacionadas com a empresa disseram que a unidade deverá ser vendida a um consórcio liderado pela Digital China, distribuidora de telemóveis, e pelo governo de Shenzhen, por 15,2 mil milhões de dólares.

Segundo as fontes, que não puderam ser identificadas devido ao contrato de confidencialidade, a Huawei poderá vir a revelar este negócio oficialmente já este domingo. Uma venda que incluirá quase todos os ativos da Honor.

Com o negócio, a Digital China Group Co Ltd, que também é parceira da Huawei em negócios como computação em nuvem, tornar-se-á um dos dois principais acionistas da marca Honor Terminal Co. Ltd, com uma participação de quase 15%, revelaram as fontes citadas pela Reuters.

Segundo as fontes da Reuters, a empresa planeia financiar a maior parte do negócio com empréstimos bancários. A Digital China terá a companhia de pelo menos três fundos de investimento apoiadas pelo governo do centro financeiro e de tecnologia de Shenzhen, com cada uma possuir de 10% a 15%.

Aliviar a pressão contra bloqueio dos EUA

As sanções dos EUA contra a Huawei, a segunda maior fabricante de smartphones do mundo (depois da sul-coreana Samsung), têm prejudicado o segmento de negócio da empresa chinesa. Este problema estende a Honor e com indicadores que deixam poucas expectativas de mudanças rápidas, na perceção dos EUA sobre a Huawei como risco de segurança, mesmo com as mudanças na Casa Branca.

Após a venda, a Honor planei reter a maior parte de sua equipa de gestão e os mais de 7.000 funcionários e abrir o capital em três anos.

Os smartphones da marca Honor representaram 26% dos 51,7 milhões de aparelhos vendidos pela Huawei em julho-setembro, segundo estimativas da Canalys. Os produtos da Honor também incluem laptops, tablets e smart TVs.

As ações da Digital China atingiram o limite máximo de negociação de 10% a 31,68 yuans (4,80 dólares) na terça-feira, depois das informações divulgadas Reuteres sobre este negócio.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado