Prémios Empreendedor XXI procuram “startups” inovadoras

O BPI vai distinguir startups com elevado potencial de crescimento na 4ª edição dos Prémios Empreendedor XXI. A iniciativa é dinamizada pelo BPI em Portugal e pelo CaixaBank em Espanha, através da DayOne, a sua divisão especializada para empresas de tecnologia, inovação e seus investidores.

Esta iniciativa anual destina-se a distinguir empresas inovadoras com menos de três anos de atividade e distinguem os seus projetos em duas categorias: prémios territoriais (2 regiões em Portugal e 17 em Espanha) e prémios desafios (8 a nível ibérico). As empresas interessadas poderão apresentar a sua candidatura através da página www.empreendedorXXI.pt até 4 de dezembro.

Os Prémios Empreendedor XXI decorrem em Portugal e em Espanha, em paralelo, no caso das categorias territoriais, e em conjunto, nas categorias setoriais. Na anterior edição, candidataram-se 993 startups ibéricas, 139 das quais eram portuguesas e distribuíram-se cerca de 525 mil euros em prémios, no que constitui uma das iniciativas para empreendedores com maior relevância económica na Península Ibérica.

Em Portugal, a iniciativa conta com o Alto Patrocínio do Ministério da Economia e da Transição Digital e também com o apoio da Agência Nacional de Inovação (ANI), através do programa Born from Knowledge (BfK). Pelo terceiro ano consecutivo, será entregue a distinção BfK à melhor empresa portuguesa “nascida do conhecimento” e que mais se tenha destacado em atividades de Investigação & Desenvolvimento (I&D), sendo atribuído um troféu “Árvore do Conhecimento”.

Soluções para os principais desafios da sociedade atual

Os Prémios Empreendedor XXI atribuem em Portugal dois prémios às empresas com maior impacto na área geográfica de origem, um na zona Norte e Centro e outro em Lisboa, Sul e Ilhas. Os vencedores territoriais receberão 5 mil euros. As empresas candidatas concorrem ainda, a nível ibérico, aos “Prémios Desafios”, que vão premiar as empresas com mais potencial para responder aos novos desafios da sociedade, as quais receberão um prémio monetário de 15 mil euros.

No total, foram definidos os seguintes 8 desafios: 

  • Cidade XXI. Podem concorrer empresas com soluções para tornar as cidades mais sustentáveis, seguras, conectadas e adaptadas.
  • Vive XXI. Digitalização, novos modelos de negócio e reativação do sector hoteleiro, restauração, turismo e lazer. Neste desafio, procuram-se soluções que ajudem à reativação de um dos sectores mais afetados pela crise, que apresentem novos modelos de negócio mais sustentáveis e que apoiem a sua digitalização.
  • Bem-estar XXI. Saúde dos cidadãos: neste desafio, serão valorizadas propostas que ajudem a melhorar a saúde dos cidadãos e a sua prevenção.
  • Semente XXI. Transformação digital e inovação no sector agroalimentar: podem apresentar-se as empresas que ofereçam soluções tecnológicas relacionadas com a produção agropecuária, tecnologia e produtos para a indústria agroalimentar, a transformação de produtos alimentares para estabelecer uma produção mais eficiente, efetiva, sustentável e saudável na indústria alimentar e agrícola.
  • Planeta XXI. Sustentabilidade ambiental: com este desafio pretende-se encontrar soluções que possam ajudar a deixar um planeta melhor para as novas gerações. Serão avaliadas propostas inovadoras que promovam ou proponham um estilo de vida menos agressivo para os recursos naturais. 
  • Banca XXI. Proximidade da banca ao Cliente: a digitalização, a inovação e a especialização estão entre os principais desafios estratégicos do sector financeiro. A este desafio podem apresentar-se as empresas que apresentem uma solução para conseguir um novo modelo de banca mais próxima ao cliente.
  • Juntos XXI. Iniciativas de impacto social: serão valorizadas soluções tecnológicas que ajudem a aumentar o desenvolvimento sustentável, com impacto positivo na sociedade. Entre as soluções incluem-se a empregabilidade, a educação, a redução de desigualdades, o consumo responsável, entre outros.
  • Deeptech XXI. Aumentar a competitividade da indústria graças à ciência e à transferência tecnológica: Espanha e Portugal enfrentam o desafio de serem mais competitivos e conseguir um maior peso nas suas economias de indústrias de alto valor acrescentado, que se transformam graças ao impacto da inovação proveniente de transferência tecnológica de universidades, a ciência e a biotecnologia.

Tanto os vencedores a nível territorial como as empresas distinguidas nas diferentes categorias e um finalista de cada desafio terão acesso a um programa de acompanhamento internacional como o “Moonshot Thinking”, organizado pela ESADE em colaboração com especialistas de Silicon Valley, e receberão mentoring especializado. Nesta edição serão atribuídos 35 prémios no total.  

Além disso, todas as empresas vencedoras dos prémios e as finalistas dos desafios poderão participar no Investors Day Empreendedor XXI e aceder ao Programa DayOne Open Innovation, para realizar um projeto-piloto com o CaixaBank.

Os prémios contam com o apoio e colaboração da Embaixada de Israel em Espanha e da Agência Nacional da Inovação de Portugal, que também vão atribuir distinções na área da inovação a uma startup espanhola (Acessit) e outra portuguesa (Born for Knowledge), respetivamente.

Desde a sua criação em 2007, o programa investiu 5,93 milhões de euros em prémios monetários e ações de acompanhamento, que beneficiaram 394 empresas. Ao longo da sua história, participaram mais de 7.850 startups e mais de 3.000 profissionais estiveram envolvidos nos comités e painéis de júris.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado