Porque é importante criar fluência em cloud dentro da organização

Por Maureen Lonergan, diretora, AWS Formação e Certificação

O cloud computing introduziu uma mudança significativa na forma como a tecnologia é obtida, utilizada e gerida. É dada às organizações a capacidade de trocar despesas de capital por despesas variáveis, operar em economias de escala massivas, tomar decisões ágeis, aumentar a velocidade e a flexibilidade organizacional, eliminar gastos em centros de dados e tornar-se global em minutos. Independentemente da indústria ou tipo de negócio, a adoção da cloud exige que as mudanças fundamentais sejam discutidas, consideradas e suportadas em toda a empresa – tanto em organizações de TI ou noutras.

Mas como estimular toda uma organização – especificamente as funções não associadas às TI – para abraçar a aprendizagem e poder até obter certificações da indústria em tecnologia cloud?

Há um aumento claro e acentuado da procura de competências na cloud, e não é apenas dentro do departamento de TI. Do ponto de vista da infraestrutura, a sinergia do negócio com as tecnologias de cloud cria eficiências em toda a organização e reduz os custos. Mas com todos os departamentos a utilizarem aplicações de cloud, permitindo às equipas partilhar um nível base de conhecimento da mesma, esta torna-se um poderoso diferenciador empresarial.

De uma forma mais simples: assim que todos os colaboradores utilizem a linguagem cloud, passam da ideia à execução de uma forma muito mais rápida e colaborativa. Uma unidade de negócio já não precisa de esperar que os recursos de TI estejam disponíveis para desenvolver uma nova melhoria na experiência do cliente. Com o conhecimento em primeira mão em cloud, os profissionais podem estar capacitados a pensar ainda maior e melhor.

Construir entusiamo e aceitação na empresa

Educar a sua organização em cloud – do topo à base e unilateralmente – é uma das muitas melhores práticas que tenho observado em empresas que implementaram e executaram estratégias de sucesso em cloud. Ao fazer isto, irá transformar empregados céticos em campeões da transformação organizacional, fazendo uma enorme diferença na rapidez com que a empresa é capaz de utilizar a cloud para produzir resultados.

Passos para construir fluência na cloud

Há seis passos fundamentais para implementar a educação para a fluência em cloud e uma cultura de aprendizagem na organização.

  1. Construa os seus melhores colaboradores (Champions) – A maioria das organizações já tem uma riqueza de conhecimento institucional e práticas culturais, em colaboradores mais antigos. Ative estes indivíduos para se tornarem os melhores na adoção da cloud e da cultura de aprendizagem que deseja ver dentro da organização. Nomeie os melhores de toda a organização, em diversas funções (não apenas gestores ou indivíduos superiores), tanto de TI como não TI, convide-os a contribuir e dê-lhes a possibilidade para participar e liderar.
  2. Apoio executivo – A gestão da mudança é central para qualquer novo programa organizacional. Requer a adesão dos colaboradores mais seniores, que lideram o caminho no suporte aos ajustes da organização que vão gerar sucesso no programa de educação da cloud. São também estes profissionais – para além dos Champions – que comunicam à empresa o propósito e os benefícios esperados da mudança. Desenvolvam um plano de comunicação claro que procure alcançar todos os níveis da organização com orientações claras sobre o programa de educação cloud, como cada indivíduo será envolvido e como se conjugará com as cargas de trabalho já existentes. 
  3. Formação aos colaboradores– A seguir vem a formação propriamente dita. Selecione um parceiro de formação que se alinhe com a infraestrutura tecnológica para maximizar o impacto dos conhecimentos a curto e largo prazo. Avalie o atual nível de competências dos colaboradores para melhor conceber percursos de aprendizagem por função e nível de competências na organização. A partir daí, o seu parceiro de formação fornece um mix de aprendizagem digital, cursos presenciais de formação, dias de imersão e workshops práticos. Trazer o staff para esta jornada, proporcionando-lhe formação e percursos de desenvolvimento conduzirá a uma maior retenção e satisfação, bem como a uma maior produtividade e colaboração.  
  4. Partilhar conhecimento – Os seus parceiros de formação podem ensinar-lhe “como trabalhar na cloud” mas a equipa estará numa melhor posição para lhe ensinar “como trabalhar na cloud” dentro da SUA organização. Limite bolsas selecionadas de conhecimento e experiência, estabelecendo oportunidades estruturadas para as pessoas poderem partilhar a sua experiência, vivências, aprendizagens, códigos de melhores práticas e fracassos. Os seus Champions podem ser os catalisadores para criar estas oportunidades e impulsionar a participação.
  5. Construir e inovar – Organize competições, hackathons e dias de inovação digital. Peça às equipas para construir um website, criar uma API para alguns dos seus dados, hospedar um wiki, ou construir algo mais tangível que se ajuste ao que as equipas já fazem. Sempre senti que a melhor educação vem sob a forma de experiência. Dê às equipas uma oportunidade prática de fazer algo significativo para o vosso negócio com a cloud e veja o que acontece. 
  6. Reconheça e recompense – Reconheça e recompense aqueles que alcançam o domínio através da certificação da indústria, algo que irá melhorar a sua cultura e encorajar outros a investir o seu tempo. Demonstra que a organização apoia a construção de uma cultura de aprendizagem, que contrata e investe nos melhores talentos e encorajará outros no mercado a virem trabalhar para a empresa.

Os passos anteriores são uma versão simplificada daquilo que vai querer implementar. No entanto, o planeamento, a estratégia e a execução de um programa de fluência na cloud vão beneficiar a organização, bem como o investimento dos colaboradores no sucesso geral da empresa. O desenvolvimento moderno nativo da cloud está aqui. O “Porquê” é conhecido; procure e implemente o “Como” para adotar a cloud e formar a sua força de trabalho – tanto técnica como não técnica – para inovar com ela.


Tags


Deixe um comentário

O seu email não será publicado