Fujitsu aposta na otimização industrial

Em parceria com a Universidade de Tecnologia de Hamburgo (TU Hamburg) a Fujitsu desenvolveu uma nova cátedra para estudar a otimização combinatória industrial.

O objetivo da Fujitsu para esta dotação de 10 anos junto da TU Hamburgo passa por acelerar a transição para um mundo mais eficiente através de avanços na ciência da optimização – a TU Hamburg foi a escolha evidente graças à sua colaboração interdisciplinar entre as ciências, como a matemática aplicada, a ciência informática aplicada e a engenharia.

A empresa japonesa prevê que a investigação neste sector irá acelerar a implementação de técnicas que reduzam o consumo de recursos, melhorem a eficiência operacional das empresas e torne os diversos serviços mais rápidos na resposta às necessidades do público. 

Os cálculos necessários para encontrar soluções para alguns desafios de otimização combinatória industrial são tão exigentes que implicam o uso de hardware altamente especializado, nomeadamente a computação quântica. O interesse da Fujitsu neste campo é impulsionado pela sua tecnologia Digital Annealer. Embora utilize hardware baseado em semicondutores, utiliza uma arquitectura especial e algoritmos de inpiração quântica para resolver tarefas de optimização combinatória em vários desafios do mundo real – permitindo trabalhar com conjuntos de dados outrora vistos como demasiado complexos ou demasiado grandes para processar dentro de intervalos de tempo aceitáveis.

Por exemplo, na produção industrial, a Fujitsu permitiu que um grande fabricante automóvel optimizasse a movimentação dos seus robots industriais, encontrando a melhor opção de entre mais de 10100 de combinações possíveis. Este número excede, de longe, o número de átomos que se presume existirem no universo. A Digital Annealer é capaz de efectuar cálculos para esta optimização quase em tempo real, em vez de dias ou semanas, o que permite a reconfiguração rápida de activos e uma agilidade acrescida para flexibilizar sistemas e processos de acordo com as circunstâncias.

Aplicações transectoriais, sejam comerciais ou públicas

A nova disciplina na TU Hamburg vai estimular a investigação aplicada em otimização combinatória, um tópico cada vez mais relevante na maioria dos sectores da economia e na administração pública. Além de otimizar o fabrico de automóveis, as aplicações atuais da Digital Annealer incluem a descoberta de medicamentos mais rápida e mais precisa, a maximização dos retornos e a minimização dos riscos nos portfólios financeiros, a minimização do investimento de capital, bem como a otimização do apoio ao cliente nas empresas de serviços. A Digital Annealer é também aplicada na redução de emissões de carbono e da poluição aérea causada pelo tráfego ao serviço de autoridades metropolitanas, empresas de logística e fornecedores de soluções de mobilidade, bem como na otimização de redes de telecomunicações. 

O interesse mais alargado da Fujitsu em patrocinar esta nova cátedra na TU Hamburg é o de abrir um novo canal de desenvolvimento de talentos para serviços assentes na Digital Annealer. Além de criar uma nova cátedra, esta dotação também irá financiar pelo menos cinco outras posições de apoio e de investigação a tempo inteiro naquela universidade e expor os conceitos e as tecnologias a um ecossistema crescente de parceiros. As actividades listadas no acordo de dotação incluem projectos de investigação e desenvolvimento conjuntos, um foco na investigação científica básica e o desenvolvimento de métodos, protocolos, processos e protótipos no campo dos sistemas de optimização combinatória. A Fujitsu concordou ainda em disponibilizar estágios no sector e dissertações de licenciatura ou mestrado e teses de doutoramento sob a supervisão da TU Hamburg.

Joseph Reger, CTO da Fujitsu na Europa Central e de Leste, afirma: “Embora ainda não seja amplamente conhecida fora de círculos especializados, a optimização combinatória está entre as técnicas matemáticas que vão ter um impacto mais significativo na forma como vamos viver e trabalhar. Ela tem o potencial de organizar qualquer processo e sistema de uma forma que elimina os impasses, a fricção e aquilo que é supérfluo, tornando tudo simplesmente melhor.”

“A Fujitsu acredita que com o advento crescente da computação quântica, este é o momento de alavancar a optimização combinatória e alargar os limites da complexidade com que as TI são capazes de lidar”, prossegue Reger. “Não há necessidade de esperar pelos computadores quânticos para fazer isso. O hardware e o software necessários para processar desafios enormes de optimização combinatória já existem e, actualmente, nós estamos a trabalhar neles com os nossos clientes. Ao dotar a Universidade de Tecnologia de Hamburgo com esta nova cátedra, a Fujitsu está a acelerar a adopção da optimização combinatória enquanto ferramenta para a sociedade e para os negócios. Prevemos que o resultado será uma transição mais rápida para um mundo mais eficiente, em que desbloqueamos as inovações que nos vão permitir fazer tudo melhor, utilizando menos recursos.”




Deixe um comentário

O seu email não será publicado