Ophiomics vence semifinal dos everis awards

A startup portuguesa conquista um passaporte direto para a final internacional dos prémios everis awards, que terá lugar no final de novembro, e é candidata ao prémio global no valor de 70.000€.

A startup Ophiomics é a grande vencedora da semifinal da 19ª edição dos prémios everis Awards com a solução HepatoPredict, vitória que lhe dá o acesso imediato a um prémio monetário no valor de 17.000€ e o passaporte direto para a final internacional que decorrerá em novembro, e que prevê um prémio global no valor de 70.000€.

A solução apresentada pela startup portuguesa materializa-se num dispositivo médico (IVD – in vitro diagnostics) que permite avaliar com uma taxa de sucesso superior às abordagens atualmente existentes, o nível de sucesso de um transplante hepático em pacientes com cancro do fígado. A solução desenvolvida pela Ophiomics, que integra biomarcadores genómicos e um algoritmo de decisão desenvolvido de raiz com base em machine learning, pretende assim apoiar a comunidade médica na indicação de pacientes para transplante e identificação dos que poderão beneficiar de terapêuticas alternativas. Com os 17.000€ arrecadados na semifinal, 10.000€ dos quais em numerário e os restantes em serviços de consultoria, a Ophiomics tem agora como meta consolidar a ideia de negócio e robustecer o protótipo que levará à final internacional.

A Ophiomics é uma startup portuguesa de base tecnológica que foi criada em 2015, por José Leal, Joana Cardoso Vaz e o Grupo Germano de Sousa, com o objetivo de desenvolver e disponibilizar soluções de oncologia de precisão. Em 2019, com base em investigação interna da empresa, reposicionam a Ophiomics com um novo modelo de negócio centrado no HepatoPredict, em que Joana Vaz e Jose Leal apostam num mercado global.

Para José Leal, CEO da Ophiomics, “É muito gratificante vermos reconhecida a proposta de valor do HepatoPredict e os anos de esforço e trabalho que dedicámos ao seu desenvolvimento. Acreditamos que a solução fará a diferença e contribuirá, de forma expressiva, para apoiar a comunidade médica na tomada de decisão, para consolidar terapêuticas personalizadas e sobretudo para salvar vidas”. E acrescenta ainda “Temos como objetivo ter o HepatoPredict pronto para entrada no mercado até ao final de 2021 e, neste âmbito, o apoio conquistado com este prémio será fundamental para robustecermos o protótipo e a ideia de negócio em torno do mesmo.”

À semifinal local chegaram os projetos de 13 startups portuguesas nas categorias de “Novos modelos de negócios na economia digital”, “Tecnologias setoriais” e “Biotecnologia e Saúde” (consulte a lista detalhada em baixo), naquela que foi a edição com mais candidaturas, 117 no total. Os projetos foram avaliados por um júri composto por académicos, empreendedores e empresários de reconhecido mérito e competência, em linha com o que se seguirá na final internacional.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado