Empresas apostam na agilidade digital para enfrentar recessão

61% das empresas referem a cloud como a tecnologia do futuro e 44% referem a tecnologia low-code.

A OutSystems divulgou as conclusões do relatório Speed of Change que avalia o estado do desenvolvimento tecnológico das empresas a nível mundial. No que diz respeito ao Sul da Europa  (França, Itália, Portugal e Espanha), o relatório demonstra que 35% das empresas inquiridas temem uma recessão económica, sendo que 23% indica que as melhorias na agilidade e na aceleração da inovação são a melhor forma de se diferenciarem no mercado e sobreviverem.

Realizado entre fevereiro e março de 2020, o The Speed of Change Report foi construído em plena pandemia causada pela COVID-19, com respostas de mais de 2.200 empresas em todo o mundo. Os resultados foram trabalhados a nível global e por área geográfica, sendo que a conclusão comum a todas as empresas é de que as melhorias na agilidade e a capacidade de inovação serão os fatores-chave para a liderança em tempos de incerteza.

“Este relatório permite-nos verificar o estado da inovação e da mudança no mundo corporativo. Os resultados foram particularmente  curiosos  uma vez que as empresas responderam numa altura em que se encontravam perante enormes desafios como o do confinamento, do trabalho remoto, da luta pela manutenção do negócio, da disrupção na tesouraria e ainda de uma queda global do mercado superior a 25%.” explica Mike Hughes, Diretor de Product Marketing da OutSystems, acrescentando ainda que “mais uma vez, a tecnologia é vista como a bóia de salvação, não apenas porque permitiu que as empresas navegassem nesta tempestade, como lhes vai permitir agilizar todos os seus processos e inovar para se adaptarem ao novo normal.” 

Perante uma realidade nunca antes vivida, o relatório destaca que a confiança das empresas foi a principal afetada, levantando sérias dúvidas sobre o “novo normal”. No entanto, os principais eixos de sobrevivência passam por melhorias na agilidade das empresas, que será testada como nunca, assim como pela inovação como fator de diferenciação. Impulsionadas por estes dois eixos, 65% das empresas têm 10 ou mais aplicações em desenvolvimento e planeadas para 2020, e 29% têm mais de 25 apps planeadas também para este ano. É na banca que se verifica um maior esforço de inovação, com 88% das empresas a terem mais do que 10 apps planeadas para entrega em 2020.

De olhos postos no futuro, a velocidade é o maior foco, com as empresas a indicarem que têm de se dedicar às necessidades dos clientes e fornecer às suas equipas de desenvolvimento um caminho rápido para a inovação. Para isso, 61% das empresas inquiridas indicam a tecnologia cloud como aquela que lhes permitirá estar na liderança, assim como a tecnologia low-code (44%).

Também o recrutamento teve lugar no relatório: 40% das empresas aumentaram as suas equipas de programadores para o desenvolvimento de aplicações no último ano, mas apenas 15% diz ser fácil recrutar este tipo de profissionais.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado