Concorrência eficaz – a chave para a 5G na Europa

A crise da Covid-19 veio mostrar o grande potencial da tecnologia, começando com soluções para possibilitar o trabalho à distância, o convívio em ambiente virtual entre amigos e familiares, e – a vários graus de avanço – tivemos um primeiro vislumbre de soluções em evolução para dar resposta ao desafio de dar aulas a alunos e estudantes pela via online.

Jan Bredehoeft, Associate Director – West European Legal Department, Huawei Technologies

Além disso, recentemente, alguns estados-membros da UE implementaram iniciativas para rastrear as infeções por coronavírus através de aplicações como recurso. E, mesmo assim, com todo o progresso e abordagens criativas que pudemos testemunhar, ficou igualmente claro que a digitalização ainda só está no seu ponto de partida. Estamos cientes de que, por exemplo, em termos de ensino e aprendizagem digital ou de ferramentas digitais como forma de prever surtos do coronavírus – apesar de cumprirmos as regras de privacidade dos dados – ainda há muito espaço para crescer, mesmo para as economias mais avançadas do mundo. Por outras palavras, esperamos tornar-nos crescentemente melhores a nível de facilitação de soluções digitais para os verdadeiros problemas do mundo – incluindo aquelas que podem ajudar-nos a enfrentar uma calamidade como a crise provocada pelo coronavírus.

A este respeito, muitos países estão a depositar grande esperança na tecnologia 5G – que é, pelo menos, 10 vezes mais rápida do que a geração anterior de telecomunicações móveis – como fator-chave para a digitalização e a inovação técnica. Os estados-membros da UE estão a fazer esforços para que seja rapidamente implementado o mais inovador equipamento técnico de ponta a preços favoráveis.

Para obter o progresso esperado, a União Europeia e os seus estados-membros há muito que baseiam a sua estratégia na promoção da concorrência entre as organizações mais ágeis e capazes. Para usar as palavras da Vice-Presidente da Comissão Europeia, a Sra. Vestager:

Significa que as empresas não têm escolha a não ser inovar se quiserem acompanhar os seus rivais. E, ao dar às ideias mais inovadoras a oportunidade de alcançarem o mercado, também nos damos uma melhor oportunidade de descobrirmos a próxima etapa – inovações que transformarão a vida das pessoas e sustentarão o sucesso da nossa indústria.”

Sobreviver e ter sucesso neste tipo de ambiente é difícil e desconfortável – como empresa, esta terá de estar sempre em alerta. No entanto, também será recompensador se se conseguir emergir como líder em tecnologia ou trazer com sucesso novas ideias inovadoras em termos de maturidade do mercado.

Na Huawei, a inovação tem sido o pilar do nosso sucesso nos últimos 30 anos. Para nos mantermos competitivos, investimos enormemente em pesquisa e desenvolvimento, cerca de 10% a 15% da nossa receita anual, com investimentos substanciais também nas nossas atividades de pesquisa e desenvolvimento em toda a Europa. Esta é a principal razão pela qual – de acordo com a plataforma de inteligência de mercado, IPlytics, com sede em Berlim – a Huawei lidera o número no âmbito das classificações das declarações de patentes de 5G a nível mundial.

Concorrência eficaz também significa que temos uma necessidade constante de conquistar e manter a confiança dos nossos clientes – sendo que, atualmente, 45 das 50 maiores operadoras de telecomunicações móveis estão a usar a nossa tecnologia. Isto reflete o facto de as operadoras estarem a selecionar fornecedores adequados com base em estratégias comerciais sustentáveis ​​de longo prazo, maximizando, ao mesmo tempo, o seu valor para o processo de transformação digital, e enfatizando fortemente a resiliência da rede e a segurança dos dados.

Recentemente, a Comissão Europeia adotou a caixa de ferramentas da UE, salientando, em particular, a necessidade de coordenar os estados-membros em termos de segurança da 5G. A maioria dos países adotou uma abordagem pragmática, por exemplo, mais recentemente, a Alemanha com o projeto de lei relativo à Segurança TI 2.0. A Huawei apoia fortemente a crescente ênfase na segurança. Com efeito, a empresa lidera no campo ao nível da transparência – com vários centros de segurança em toda a Europa – e está no topo da lista por contribuir para a segurança das associações de normalização mais relevantes.

Ao mesmo tempo, acreditamos que é importante combinar os mais altos padrões de segurança com diversidade e concorrência. De facto, diversidade, escolha do cliente e concorrência são pré-requisitos para garantir a segurança da 5G nas redes de telecomunicações.

A força dos mercados de comunicações eletrónicas da UE e, por sua vez, da economia da UE deriva – e sempre derivou – da liberdade com que as operadoras desfrutam na escolha dos fornecedores de equipamentos mais adequados e avançados, resultantes da aplicação de mercados verdadeiramente abertos e competitivos. As limitações em termos de capacidade de alguns fornecedores para operarem no mercado privariam a UE dos benefícios da concorrência, restabelecendo direitos especiais para os restantes concorrentes e violando a Legislação Europeia. Ao olhar para além da UE e do seu mercado comum, a UE orgulha-se do seu apoio de instituições multilaterais. Neste contexto, a interdição de determinados fornecedores – com efeito, devido ao seu país de origem – suscitaria sérias preocupações com relação ao cumprimento das leis da OMC aplicáveis ​​à proteção do comércio internacional. A exclusão direta de um fornecedor levaria, além disso, a enormes perdas económicas para toda a indústria, com potencial para o aumento significativo dos custos para as economias europeias. De acordo com um estudo da Oxford Economics, o impacto económico negativo nos países europeus pode chegar ao montante de 3 biliões de euros – um aumento, em última análise, nascido entre os consumidores, nos preços mais altos associados à conectividade 5G.

Mas não apenas os custos económicos serão de considerar – uma concorrência sufocante pode ser um sinal de que podemos perder a próxima grande etapa – ou talvez uma inovação que nos irá ajudar a superar outra crise. O progresso económico e as inovações digitais são cruciais para a melhoria do nosso bem-estar diário e, em última instância, podem ajudar-nos a salvar vidas ao fazer face a uma situação como a pandemia provocada pelo coronavírus. No entanto, os avanços na tecnologia digital dependem de uma concorrência eficaz no mercado europeu, permitindo que todos os principais inovadores da nossa indústria contribuam para um bem maior para todos.

A Huawei sente-se honrada por desempenhar um papel importante na construção das infraestruturas da rede de telecomunicações na Europa há mais de 20 anos. Estamos empenhados em continuar a conquistar a confiança dos nossos parceiros europeus, contribuindo para o progresso tecnológico baseado nos e suportado pelos mais elevados padrões de segurança disponíveis e necessários para a implementação da tecnologia 5G.

Por Jan Bredehoeft, Associate Director – West European Legal Department, Huawei Technologies.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado