A tecnologia é essencial para a reconstrução das economias e da cooperação internacional

Na Ran, Chief Marketing Officer, Western Europe, Huawei Technologies.

Nos últimos séculos, a globalização trouxe-nos progresso substancial em muitos setores. O comércio global aumentou a prosperidade material das pessoas em todo o mundo, e os países em desenvolvimento e emergentes tornaram-se cada vez mais importantes como parceiros comerciais e potenciais mercados de venda. A globalização fortaleceu as economias e melhorou as condições de vida em todo o planeta. Graças à globalização e a um mundo cada vez mais ligado, os consumidores podem agora escolher de entre uma variedade sem precedentes de produtos de um mercado global.

A atual pandemia de COVID-19 atinge fortemente os mercados globais, enfraquecendo o comércio internacional e a cooperação, e acelerando as tendências de protecionismo e nacionalismo, cuja expansão já se começava a verificar. A pandemia teve um impacto enorme nas cadeias de valor globais – em vez da proximidade e da eficiência, a distância e a segurança são a nova ordem do dia. As empresas cortam cadeias de abastecimento e relocalizam fábricas. Os governos fecham as suas economias e acumulam produtos essenciais. Embora já em 2019 o conflito comercial entre os EUA e a China dominasse o comércio internacional, a crise atual levou a um aumento do “distanciamento económico”. Esta tendência põe em perigo o bem-estar económico em todo o mundo.

Reconstruir uma economia forte com base na tecnologia

Mas o que pode ser feito para fazer frente a estas tendências, para pôr um fim ao destroçar das economias, dos sistemas de saúde e das sociedades? A tecnologia ajudará a retomar o rumo da globalização.

Setores fundamentais, incluindo a indústria fabril, a saúde, os serviços públicos, o retalho, os transportes, as cadeias alimentares, o turismo, os meios de comunicação e o entretenimento foram fortemente atingidos pela pandemia e exigem tecnologias de informação e de comunicação interligadas e coesas. Vivemos na era da informação e todos devem ter acesso aos benefícios económicos e médicos da tecnologia da informação. Os benefícios económicos são amplos – dos meios de produção inovadores, às comunicações rápidas e ligações de rede excelentes. A tecnologia foi e continuará a ser essencial para apoiar o pessoal médico durante a crise do COVID-19. A situação atual melhorou significativamente através do desenvolvimento e da utilização de diagnósticos assistidos por IA, tratamento inovador dos sintomas da doença e facilitação do distanciamento social para prevenir novas infeções.

O coronavírus tem-se espalhado depressa: a China, os EUA e especialmente a Europa sofreram muitas perdas. Até à data, esta luta contra o vírus continua a ser dura e a ter impacto no bem-estar de todos os seres humanos deste planeta. O vírus não conhece fronteiras e afetou todos os cantos do mundo. A reconstrução dos laços económicos e da cooperação com confiança será em breve a primeira prioridade, em todo o lado. 

O Presidente Federal da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, salientou recentemente, no seu discurso à nação, que o mundo após o COVID-19 será diferente: “Como será? Está nas nossas mãos. Vamos aprender com as experiências, as boas e as más, por que todos passamos diariamente nesta crise. Procuramos a saída juntos, em todo o mundo, ou caímos no isolacionismo e percorremos o caminho sozinhos? Vamos partilhar todo o conhecimento, todas as investigações, de modo a conseguirmos obter vacinas e terapias mais rapidamente, e vamos, numa aliança global, garantir que os países mais pobres, que estão mais vulneráveis, também tenham acesso. […] Não nos queremos tornar numa sociedade ansiosa ou desconfiada. Podemos ser uma sociedade com mais confiança, mais consideração e mais esperança.”

A Huawei está solidamente implantada na Europa há 20 anos e está confiante na sua capacidade para combater a pandemia ao lado dos Europeus. Atualmente, empregamos mais de 13 300 pessoas na Europa, em duas sedes regionais e 23 centros de Investigação e Desenvolvimento. Mantemo-nos firmemente ao lado nos nossos parceiros europeus e iremos apoiá-los de todas as formas possíveis para sairmos vencedores na guerra contra este vírus.

Em primeiro lugar, a infraestrutura de TIC é o alicerce do mundo digital, e a tecnologia digital suportada pela infraestrutura de TIC é o pilar da luta contra a pandemia. Tecnologias digitais como os big data, a IA e a computação na nuvem, suportadas por redes de TIC, são cruciais para monitorizar e analisar a pandemia, rastrear o vírus, prevenir e controlar a pandemia, tratar os doentes e distribuir recursos. Para além de ajudarem no combate à pandemia, estas tecnologias digitais também foram aplicadas noutras áreas, nomeadamente para ajudar as empresas a lidar com os seus problemas e salvaguardar as atividades sociais normais.

Em segundo lugar, as tecnologias digitais suportadas pela infraestrutura de TIC estão a ajudar à manutenção das atividades sociais durante a pandemia. Uma das principais características desta crise de saúde pública global é que afeta a maior parte da vida offline. As empresas offline são as que mais sofrem por causa de medidas como ficar em casa e o “distanciamento social”. Uma quantidade impressionante de atividades sociais e económicas passou a decorrer online. As empresas foram forçadas a fechar portas e os alunos tiveram de ficar em casa, sem poderem ir à escola. Mas as redes permitiram às pessoas voltarem ao trabalho e à escola, o que leva a uma necessidade crescente de aplicações online para o trabalho e a aprendizagem à distância. A pandemia suspendeu muitas atividades offline, mas as pessoas estão agora a viver online.

A crise atual está a acelerar a digitalização de milhares de indústrias. O seu impacto nas redes também permite aos operadores globais considerarem e planearem uma evolução da rede orientada para o futuro, a partir de uma nova perspetiva. As evoluções da rede como o 5G e as redes óticas gigabit podem fornecer a indivíduos, famílias e empresas serviços de banda larga generalizados e de alto desempenho, constituindo a base de ligações omnipresentes na vida profissional e pessoal de todos. Irão fomentar a transformação digital de indústrias tradicionais para uma economia digital mais robusta.

A simplificação da arquitetura de rede, dos dispositivos e da implementação pode acelerar a expansão, a melhoria e a implementação de redes como o 5G. Devemos aprender com esta pandemia do coronavírus e melhorar o desempenho da infraestrutura de TIC existente para lidar mais eficazmente com quaisquer possíveis riscos futuros.

Os governos e os reguladores podem ajudar ao desenvolver políticas e medidas que facilitem a rápida expansão e as melhorias da infraestrutura TIC. A Huawei está pronta para ajudar através do desenvolvimento de diferentes tecnologias. Num dos nossos projetos inovadores, estamos a trabalhar em conjunto com as tecnologias Yitu para disponibilizar uma plataforma “Smart Pneumonia Analyses” a todos os hospitais que a solicitem. Esta plataforma é capaz de calcular a probabilidade de um doente ter pneumonia COVID-19 com a ajuda de TAC e Inteligência Artificial, o que aliviaria o pessoal médico.

Apoiar um mundo ligado

Os países e governos devem ligar-se e trabalhar em conjunto para recuperar da pandemia e salvar a vida de muitas pessoas. A melhor forma de comunicar entre continentes é utilizar dispositivos tecnológicos avançados e uma ligação rápida à Internet. Na Huawei, desenvolvemos dispositivos tecnológicos para a comunicação e para apoiar o pessoal médico durante a crise do coronavírus. Além disso, estamos a criar redes rápidas e fiáveis, juntamente com todos os principais operadores europeus, para garantir as ligações quando a pressão é elevada. Acreditamos vivamente que todos devemos continuar a trabalhar juntos para criar tecnologias de rede de uma forma que garanta a confiança, a segurança e a proteção dos direitos fundamentais. Confiamos plenamente na tecnologia ligada para apoiar as pessoas de todo o mundo durante a crise.

Por Na Ran, Chief Marketing Officer, Western Europe, Huawei Technologies.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado