Revolut entra nos Estados Unidos da América

A fintech britânica que tem já mais de 10 milhões de clientes no Reino Unido e na Europa, anunciou o lançamento da sua plataforma financeira e dos seus cartões de débito para residentes nos Estados Unidos da América.

Desde que lançou a versão beta, no ano passado, a Revolut atraiu dezenas de milhares de clientes. Agora fica disponível para o público em geral.  

A Revolut foi lançada em 2015 com a missão de criar uma plataforma financeira – uma app que permita aos clientes gerir e melhor controlar o seu dinheiro. Pode ler-se no comunicado enviado as redações.

É um facto que a finetech britânica conseguiu conquistar o mercado, com se comprometeu, o seu rápido crescimento demostra-o. Segundo os números da empresa, em apenas quatro anos atraiu mais de 10 milhões de utilizadores, levantou mais de 800 milhões de dólares de capital e emprega já mais de 2.000 pessoas globalmente. Com uma confiança a cima da media por parte dos seus clientes. A aventura americana é agora concretizada com a abertura de escritórios em Nova Iorque e em São Francisco. 

A partir de hoje, os utilizadores norte-americanos podem criar uma conta Revolut em apenas alguns minutos, a partir dos seus smartphones. Depois de fazer o download da aplicação – iOS ou Android -, os clientes precisam apenas de inserir os seus dados pessoais e enviar documentos de identificação. As contas são verificadas numa questão de minutos. Depois de ter a conta aprovada, recebem de forma instantânea os detalhes da conta, que podem ser usados para fazer pagamentos ou domiciliar o salário. 

Os fundos dos clientes nos EUA estão ao abrigo da garantia FDIC – até US $250.000 -, graças a uma parceria desenvolvida com o Metropolitan Commercial Bank. Os clientes dos EUA também podem domiciliar o seu ordenado com a Revolut, recebendo o salário na conta até dois dias antes.

Numa tentativa de oferecer aos clientes maior visibilidade e controlo sobre o seu dinheiro, os clientes da Revolut recebem notificações instantâneas de gastos, têm acesso à categorizarão de despesas – restaurantes, compras e transporte, entre outros – e podem definir orçamentos mensais para categorias individuais.

“À medida que o custo de vida aumenta de forma desproporcional face ao salário das pessoas, agora mais do que nunca, precisamos de saber exatamente o que está a entrar e a sair das nossas contas. Queremos que os clientes tenham ferramentas que os ajudem a gerir o seu dinheiro da forma  mais conveniente e precisa ”, disse Nik Storonsky, fundador e CEO da Revolut.

Os clientes Revolut podem ainda enviar e solicitar dinheiro instantânea e gratuitamente, podem dividir a conta com amigos através de um simples toque num botão e podem ainda arredondar cada compra de cartão para o dólar mais próximo e guardar o remanescente num Cofre.

Os clientes dos EUA também podem também gastar e transferir dinheiro, globalmente, à taxa de câmbio interbancário, manter e trocar 28 moedas a partir da app e fazer levantamentos em mais de 55.000 ATM, nos Estados Unidos e globalmente, sem taxas *.

“Ao gastar ou transferir dinheiro para o estrangeiro, a maioria das pessoas desconhece as taxas ocultas cobradas pelos bancos. O mundo está a ficar mais ligado, e as empresas de serviços financeiros deveriam apoiar esta realidade, em vez de a impedir”, continuou Storonsky.

Do ponto de vista de segurança, e à semelhança do produto europeu, os clientes dos EUA podem congelar e descongelar os seus cartões a partir da aplicação, ativar e desativar funcionalidades de pagamento, como contactless, pagamentos online e levantamentos em caixas multibanco para aumentar a segurança. Para quem faz, frequentemente, compras online, a Revolut oferece ainda um cartão virtual descartável, cujos detalhes são atualizados sempre que é processada uma compra, inibindo assim utilizações indevidas.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado