OutSystems expande Low-Code School para Estados Unidos, Holanda e Alemanha

A empresa prevê a criação de mais de 5.000 postos de trabalho para profissionais com competências em OutSystems até ao final de 2020.

Estados Unidos, Holanda e Alemanha são os países onde a empresa portuguesa vai implementar este projeto, que visa formar gratuitamente profissionais na tecnologia OutSystems de forma a aumentar as suas oportunidades de carreira e expandir a atual comunidade de mais de 250.000 profissionais em todo o mundo.

Três meses após o anúncio do lançamento dos cursos nas cidades de Lisboa, Braga e Castelo Branco, a OutSystems já formou mais de 100 pessoas através da Low-Code School, e disponibilizou gratuitamente, a todos os participantes, o acesso ao exame de certificação na tecnologia, que tem habitualmente o custo de 200 dólares.  Além disso, os formandos tiveram também a oportunidade de serem entrevistados por empresas parceiras e clientes da OutSystems durante as sessões de networking

A empresa portuguesa de low-code prevê a criação de mais de 5.000 postos de trabalho para profissionais com competências OutSystems até ao final de 2020. “Estes cursos vêm dar resposta à crescente procura de profissionais com competências em OutSystems em todo o mundo. Consideramos que pessoas que já possuem um background técnico têm alguma vantagem em aprender a tecnologia e queremos acelerar o seu conhecimento e as suas oportunidades de carreira dentro do nosso ecossistema de clientes e parceiros.”, afirma Gonçalo Gaiolas, vice president of Community da OutSystems.

Em Portugal, durante o primeiro trimestre de 2020 estão previstas três novas edições da Low-Code School, sendo que a próxima decorrerá entre os dias 17 e 28 de fevereiro, no escritório da OutSystems em Linda-a-Velha, em horário pós-laboral.

A Low-Code School consiste numa formação de duas semanas em tecnologia OutSystems, com acesso gratuito a exame de certificação profissional e novas oportunidades de carreira num mercado em franca expansão mundial. Podem inscrever-se estudantes finalistas e/ou recém-formados de cursos profissionais (na área de engenharia), bem como programadores com um mínimo de dois anos de experiência profissional em linguagens de programação web ou mobile.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado