Robôs da Alphabet erram menos que os humanos

Apesar de parecer simples, fazer com que máquinas identifiquem diferentes tipos de objetos é uma tarefa cheia de desafios

A Alphabet deu a conhecer o seu projeto “Everyday Robot”, que tem como objetivo desenvolver robôs inteligentes para uso quotidiano. A ideia, da holding do Google, é equipar as máquinas com câmaras e softwares complexos de machine learning para que estas sejam capazes de observar o mundo à sua volta e adquiram diferentes skills, da mesma forma que os seres humanos adquirem conhecimento.

Nesta fase, os robôs estão a aprender a classificar o lixo. Apesar de parecer simples, fazer com que máquinas identifiquem diferentes tipos de objetos é uma tarefa esta é uma tarefa cheia de desafios. Atualmente, os protótipos estão a dar o seu contributo na separação dos materiais para reciclagem nos próprios escritórios da empresa americana e já são capazes de identificar latas de alumínio no meio de plásticos, por exemplo.

Segundo a Alphabet, os robôs colocam menos de 5% do lixo no lugar errado. Para efeito comparativo, a taxa de erros entre os seres humanos do escritório é de 20%. Para a gigante da tecnologia, esta é uma grande conquista, já que um dos maiores desafios da robótica hoje é criar máquinas capazes de operar com segurança e autonomia em ambientes complexos, como residências e empresas.

De facto, a integração da robótica e da inteligência artificial é um objetivo de diversas empresas, mas nem sempre os projetos são bem-sucedidos. O próximo desafio deste laboratório, da Alphabet, é tentar fazer com que os robôs aprendam novas capacidades sem que o seu código precise ser escrito do zero.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado