Web Summit 2019: “não são os dados que estão a ser explorados, são as pessoas que estão a ser manipuladas”

Um alerta para a manipulação das pessoas, através dos seus dados, um aviso para a importância da forma como não tratamos a água do planeta, e o 5G.

O analista que denunciou práticas de espionagem da Agência de Segurança Nacional (NSA) dos EUA, fez, em direto de Moscovo, um alerta importante relativamente ao tratamento de dados, e ao seu uso para os mais variados fins: “Não são os dados que estão a ser explorados, são as pessoas que estão a ser manipuladas” 

Snowden considera o trabalho feito na Europa sobre a proteção de dados dos cidadãos, o Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (RGPD), pouco eficaz, tendo em conta  que “o problema não é a proteção de dados, mas sim a recolha dos mesmo”. 

A tese do analista norte americano é que o problema não está na recolha de dados, e que esta recolha não tem qualquer problema se não existirem fugas. O problema é que “há sempre fugas” afirmou. O analista norte americano considera mesmo que negócios com base na recolha de dados, como os das as redes sociais, por exemplo, são abusivos, mas considerados legais. Enfatizou ainda que os modelos de negócio com base no tratamento de dados beneficia um conjunto de privilegiados, prejudicando o comum dos mortais.

A abertura do Web Summit 2019, contou ainda com uma sessão virada para a forma como tratamos a água, e pouca importância que damos a esta questão. Parece fácil para a maioria dos europeus, mas não é. Existem muitas pessoas no planeta sem água potável, esta é uma das preocupações do jovem ator Jaden Smith que veio falar do seu projeto “Just Water”, e de como a tecnologia pode ser importante para tornar o consumo de água no planeta “sustentável desde a primeira gota”. 

Ainda antes de aula de história de Portugal, e como o país foi grandioso no passado, dada pelo Ministro da Economia e pelo Presidente da Câmara de Lisboa. Guo Ping, da Huawei, desafiou as startups a olharem para a tecnologia chinesa e criarem uma nova era “mobile”, com a chegada do 5G, construindo mais aplicações inteligentes nomeadamente a pensar no IOT. O desafio foi feito apesar da desconfiança tanto do governo americano relativamente a Huawei, como dos governos europeus no que respeita a espionagem chinesa e as questões de falta de segurança cibernética que o 5G tem levantado. 





Deixe um comentário

O seu email não será publicado