Microsoft vai organizar sistemas de cloud do Departamento de Defesa dos EUA

O Departamento de Defesa norte americano publicou no seu site uma nota que oficializa a Microsoft como vencedora do projeto que irá organizar os sistemas de Cloud do Pentágono. A Microsoft vai ainda implementar um conjunto de sistemas de tecnologias como inteligência artificial e machine learning.  

O projeto Joint Enterprise Defense Infrastructure (mais conhecido como JEDI) é um contrato inicial de dois anos no qual uma empresa de tecnologia será responsável  por gerir mais de 500 sistemas de cloud do Pentágono e também atualizar o exército americano com as tecnologias de ponta que estão são tendência no mercado.  

Dependendo das necessidades identificadas pelo Pentágono, a empresa vencedora poderia ter acesso a um orçamento de até dez mil milhões de dólares, além de uma maior probabilidade para adquirir contratos de outros órgãos do governo. Tendo em conta estes fatores, o projeto esteve sob os holofotes do público durante todas as etapas de seleção.

Concurso Polémico

Amazon, IBM, Google, Microsoft e Oracle mostraram-se de imediato disponíveis para apresentar uma proposta a esta solicitação. Mas a Google ficou-se pelo caminhos atendendo a pressão dos seus funcionários funcionários, enquanto IBM e Oracle foram desclassificadas nas etapas iniciais do projeto — a Oracle chegou mesmo a abrir um processo acusando que o caderno de encargos favorecia claramente a Amazon, pois fazia exigências de serviços e ferramentas que já existiam dentro da AWS. Mas perdeu o recurso. 

Em agosto, este concurso também chamou a atenção por questões políticas: o presidente Donald Trump afirmou que gostaria de “esconder” o processo de licitação do JEDI. Especula-se que seria uma forma de retaliação a Jeff Bezos, dono da AWS, que também possui o jornal Washington Post, que fez críticas ao governo. 

Mesmo assim, o mercado especulava que Amazon venceria mesmo esta disputa. Tanto por estar há mais tempo no mercado de cloud do que a rival como por já ter um contrato assinado com a CIA. Porém, os esforços que a Microsoft fez para cumprir com todos requisitos da proposta acabaram valendo a pena. Na sequência deste anuncio as acções da empresa vencedor subiram cerca de 3% o que demonstra bem o reconhecimento do mercado. Sem dúvida um prémio extraordinário pelo excelente trabalho que a companhia tem feito nos últimos anos na plataforma Azure.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado