Rombo nas contas da Huawei em cerca de 30 mil milhões de dólares

Governo norte-americano colocou a fabricante chinesa numa espécie de “lista negra”.

A Huawei afirmou que o recente afastamento da empresa nos Estados Unidos terá um impacto significativo nos seus resultados financeiros ainda este ano.

Segundo a Reuters o CEO e fundador da gigante chinesa, Ren Zhengfei, disse que a iniciativa do governo norte-americano deverá reduzir em cerca de 30 mil milhões de dólares a receita prevista pela empresa para este ano.

Como aponta a agência noticiosa, a declaração do executivo surpreendeu o mercado, uma vez que a Huawei vinha afirmando nas últimas semanas que a sua tecnologia era autossuficiente.

Uma batalha comercial

No último mês de maio, o o Departamento de Comércio dos EUA anunciou a inclusão da Huawei – e de 70 afiliadas – numa espécie de “lista negra” chamada Entity List.

Na prática, esta ação impede as empresas chinesas de comprarem componentes e tecnologias às companhias norte-americanas sem uma aprovação prévia do governo de Trump.

Mas apesar deste duro golpe a empresa chinesa não baixa os braços, nem pode,  está em curso o possível lançamento de sistema operativo (SO) próprio, o Hongmeng, com previsão de lançamento para cerca de nove meses, se necessário, já que os smartphones Huawei enfrentam o corte das atualizações Android, após a proibição.

A indústria permanece expectante e acredita que os fabricantes de chips chineses possam rapidamente resolver o desafio de suprir as necessidades da Huawei e de outras empresas de tecnologia chinesas. Alguns dos principais especialistas acham par este “jogada” do governo de Trump como mais um dos seus erros, tendo em conta a capacidade que muitos fabricantes chineses, podendo estes rapidamente ascender no mercado global. Na verdade é necessário algum trabalho suplementar a fazer, não é só ter capacideade, é preciso esperar para ver como reage por exemplo a União Europeia a tudo isto, e perceber se o rombo fica por aqui ou será maior.