Universal Robots pretende reforçar presença em Portugal

A multinacional dinamarquesa, especializada em robótica colaborativa, nomeou Miguel Oliveira para desenvolver a presença da empresa em Portugal

 

Miguel de Oliveira, director de desenvolvimento de negócio da Universal Robots em Portugal

A Universal Robots, empresa dinamarquesa que se dedica ao fabrico de robot colaborativos (corobots), revelou que vai fortalecer e consolidar a estratégia comercial da empresa em Portugal. 

Para o efeito, a empresa nomeou Miguel de Oliveira para o cargo de director de desenvolvimento de negócio no mercado nacional. Nesta posição irá estabelecer “novas e estreitas parcerias com clientes” e reforçar o suporte ao distribuidor EPL – Mecatrónica & Robótica

É igualmente objectivo da Universal Robots entrar em novos sectores industriais em Portugal “aos quais a flexibilidade e facilidade de utilização dos seus robots colaborativos oferece uma grande oportunidade para a automatização de processos, em muitos casos, até agora impensável”, defende a empresa em comunicado.

A empresa vendeu o primeiro robot há dez anos e, ao longo deste tempo, vendeu mais de 27 mil “cobots” em todo o mundo, refere a mesma nota de imprensa. 

A Universal Robots quer “ampliar a sua presença em Portugal e aumentar significativamente o número de braços robóticos colaborativos já instalados no país”.

 Miguel de Oliveira é licenciado em engenharia electrótécnica pelo ISEL e tem uma pós-graduação em gestão comercial pela FEP. Trabalha há mais de quinze anos no âmbito da robótica e da automatização de processos industriais. Antes de integrar a Universal Robots, foi gestor de vendas da unidade de negócio de Robótica na multinacional ABB em Portugal, empresa onde desempenhou igualmente as funções de gestor de canal e engenheiro de vendas. 

Jordi Pelegri, diretor de desenvolvimento de negócio da Universal Robots para a Península Ibérica, afirmou: “com a chegada de Miguel de Oliveira à nossa equipa, estamos certos que iremos fortalecer a nossa presença em Portugal, tanto nas indústrias onde temos já robots instalados como no desenvolvimento de novas parcerias e mercados”.

 Já Miguel de Oliveira explica que a “a robótica colaborativa representa uma nova era na automatização industrial”. Para o responsável, o seu desafio será “dar a conhecer às PME portuguesas soluções de automatização que até agora apenas estavam ao alcance das grandes empresas. Queremos continuar a reduzir a barreira da automatização e a impulsionar os cobots para novas aplicações que beneficiem empresas de todas as dimensões”.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado