Suporte ao Windows 7 poderá prolongar-se até 2023

A Microsoft irá disponibilizar actualizações de segurança por mais três anos, após o fim do suporte, previsto para 2020.

A Microsoft terá percebido que muitas empresas não vão substituir o Windows 7 até à data prevista para o final do suporte do sistema operativo, Janeiro de 2020, e anunciou que irá prolongar o suporte por três anos adicionais.

A empresa vai disponibilizar os chamados “Windows 7 Extended Security Updates” (ESU), que serão vendidos mesmo após o final do suporte e até Janeiro de 2023, avança a Microsoft.

A notícia foi avançada por Jared Spataro, que lidera o marketing do Office e do Windows, no âmbito de uma outra apresentação. “Embora muitos de vós já estejam a implantar o Windows 10, compreendemos que muitos estão em diferentes pontos no processo de actualização”. O responsável não avançou qual o ponto de situação das migrações de Windows 7 para Windows 10 por parte de clientes empresariais.

Artigo relacionado: A ler: o que há de novo na versão empresarial do Windows 10

O Windows 7 ESU é, provavelmente, uma resposta aos clientes que reportaram à Microsoft não conseguir cumprir o prazo de migração. Ou pelo menos, uma tomada de consciência por parte da empresa de que, apesar de todo o agressivo esforço comercial para convencer as empresas a abandonarem o sistema operativo mais antigo, as empresas não iriam conseguir concluir as actualizações a tempo.

Em Julho, a Microsoft disse que aproximadamente 184 milhões de PC ainda correm o Windows 7, a nível mundial. Excluído deste número estão os utilizadores chineses. Outras previsões apontam para que 34% dos utilizadores ainda utilizem Windows 7 em Janeiro de 2020, o que significa que mais de um terço de todos os PC com Windows iriam funcionar com um sistema operativo sem suporte.

Outras previsões apontam para que 34% dos utilizadores ainda utilizem Windows 7 em Janeiro de 2020, o que significa que mais de um terço de todos os PC com Windows iriam funcionar com um sistema operativo sem suporte.

O Windows 7 ESU, disse Spataro, estará disponível apenas para PC com Windows 7 Professional ou Windows 7 Enterprise, e apenas se os sistemas foram comprados sob um acordo de licenciamento por volume. Os descontos serão oferecidos a clientes que também tenham planos de segurança Assurance, em vigor no Windows ou que tenham assinaturas Windows 10 Enterprise ou Windows 10 Education, incluindo a subscrição do Microsoft 365.

O suporte adicional será distribuído por até três anos. O suporte será vendido numa base de “per-device” e não de “per-user”, como acontece com o licenciamento do Windows 10. Os preços irão aumentar anualmente, confirmou Spataro. Não foram para já divulgados valores para o Windows 7 ESU nem informação detalhada sobre o que irá incluir.

O Windows 7 ESU assemelha-se ao que a Microsoft comercializou anteriormente, o “Premium Assurance”, lançado no final de 206 para o Windows Server, depois substituído pela “Extended Security Updates” em Julho. Para complicar ainda mais, a Microsoft tinha um programa “paid supplemental servicing” para o Windows 10. Este programa desapareceu da página da Microsoft, onde tinha surgido em Fevereiro. A omissão de serviços suplementares pagos deveu-se provavelmente ao prolongamento do suporte da Microsoft, para  cada upgrade de funcionalidades de Outono, de 18 para 30 meses.

Com base no anúncio de Spataro, e nas ofertas actuais da Microsoft aos clientes noutros planos – especialmente o ESU para Windows Server – o Windows 7 ESU deverá distribuir correcções de segurança para vulnerabilidades classificadas como “críticas” e “importantes”, as duas camadas de topo do sistema de classificação da empresa. O preço poderá ser alto, o ESU para o Windows Server 2008 representa 75% do custo anual da licença, quando as actualizações são implantadas em servidores locais. Além de corrigir bus, o Windows 7 ESU também permite que os PC cobertos continuem a executar o Office 365 ProPlus e as aplicações instaladas localmente como o Outlook, o Word, o Excel, entre outros, a base do software-as-a-service Office 365.

A Microsoft tinha referido anteriormente que o suporte ao Office 365 ProPlus sobre Windows 7 iria terminar quando acabasse o suporte ao sistema operativo em Janeiro de 2020. “Isto significa que os clientes que comprarem o Windows 7 ESU poderão continuar a utilizar o Office 365 ProPlus”, assinalou Spataro.

Durante o corrente mês deverão surgir mais novidades sobre o Windows 7 ESU. Spataro deu a entender que a Microsoft irá avançar com mais detalhes sobre as mudanças na política de suporte, durante a conferência Ignite, entre 24 e 28 de Setembro.

A fabricante recomenda ainda aos clientes que entrem em contacto com as equipas de suporte ou parceiros para obter mais informação sobre o novo ESU.

Gregg Keizer, Computerworld (EUA)




Deixe um comentário

O seu email não será publicado