Susana Teixeira lidera nova unidade de negócio da Primavera

A “Academy” da Primavera deverá formar 7000 pessoas durante o próximo ano, avança a empresa.

Susana Teixeira, directora da Primavera Academy

A Primavera BSS anunciou o alargamento do âmbito formativo da sua Academia que se transformou numa unidade de negócio independente no universo da empresa de Braga. A unidade é liderada por Susana Teixeira e irá deixar de estar focada apenas nas soluções Primavera, passando a abranger áreas transversais à gestão, passando por incluir uma vertente tecnológica.

A Primavera pretende alargar “cada vez mais o seu âmbito de actuação em Portugal, Angola, Moçambique, Cabo Verde e Espanha”, avança em comunicado.

A nova unidade de negócio de formação tecnológica da Primavera BSS tem como objectivo “dar resposta às necessidades das empresas no âmbito das competências” sejam elas “relacionadas com Tecnologias de Informação, negócio, gestão ou mesmo soft skills”, explica Susana Teixeira. No fundo, a academia visa “alargar o campo de actuação para fora do ecossistema” da empresa.

Durante o próximo ano deverão passar pêlos bancos da Primavera Academy cerca de sete mil formando. Os primeiros cursos da nova unidade de negócio de formação tecnológica da empresa oriunda de Braga deverão arrancar já no mês de Setembro. Segundo, Susana Teixeira será dada prevalência a linguagens de programação, como por exemplo C#”.

A oferta formativa irá também incluir metodologias de gestão de projectos, transformação digital, cloud computing entre outras áreas que, neste momento, registam uma elevada escassez de recursos qualificados.

A Primavera Academy, agora transformada em unidade de negócio, foi fundada em 2002 e desde então já formou cerca de 60 mil pessoas.

O protocolo com o IEFP deverá ser alargado para abranger a nova oferta

Os cursos têm custos diversificados tendo em conta a tipologia e duração. “Habitualmente os cursos mais vocacionados para potenciar a obtenção de emprego ou a requalificação profissional apresentem preços com descontos substanciais para estudantes ou desempregados”, refere a responsável. Para o efeito a software house tem um protocolo de nível nacional com o Instituto de Emprego e Formação Profissional para formação de desempregados no âmbito das soluções Primavera”.

Com a criação da nova oferta e a da nova unidade de negócio “terá que ser agora estudado se esse protocolo deverá ser alargado, de modo a incluir as novas formações de tecnologias de informação (TI)”, conclui.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado